As empresas precisam estar cada vez mais atentas aos riscos de fraude em compras no ambiente interno e em seus sistemas de venda direta ao consumidor. Uma boa forma de evitá-las é com a implementação e o uso de recursos tecnológicos, como softwares de monitoramento e análise de dados.

Com esses recursos, as empresas podem identificar muito mais facilmente tais problemas e neutralizar ameaças de fraude antes que elas causem danos. Muito disso se deve ao fato de a tecnologia estar mais presente em nosso cotidiano e mudando a forma como as pessoas vivem, trabalham e se relacionam.

Por isso, decidimos abordar um pouco sobre essas questões neste artigo. Você vai ver como está também mudando a maneira como as empresas lidam com os riscos de fraude. Muitas delas estão usando os mais variados recursos da tecnologia para monitorar e analisar as suas transações (e compras) realizadas pelos clientes e colaboradores.

Dependendo dos recursos de que a empresa dispõe, ela também poderá utilizar diversos desses elementos e monitorar as suas compras internas e vendas em tempo real, por exemplo. Vamos explorar os detalhes de como ocorrem as fraudes, mostrando os principais tipos cometidos no mercado e ajudar você a pensar na melhor solução para evitá-las em sua companhia.

Vamos lá?

Como as fraudes em compras interferem no universo corporativo?

Fraudes são atos ilícitos que visam obter vantagem indevida, geralmente utilizando as facilidades oferecidas pelos meios tecnológicos disponíveis. Elas podem causar sérios danos às empresas, tanto financeiramente quanto como na imagem da marca. Para que as empresas não estejam vulneráveis a elas, é importante investir em soluções de segurança em seus produtos e serviços diariamente utilizados.

Para facilitar a sua compreensão do tema, primeiro, vamos explorar as principais fraudes cometidas nos últimos tempos para entender quais as abordagens necessárias para a prevenção. Confira!

Utilização inadequada dos cartões corporativos

A utilização indevida dos cartões corporativos da empresa pode configurar em fraude, se forem utilizados para fins pessoais ou outros que não sejam devidamente permitidos pelas regras da empresa. Esse tipo de fraude também pode ocorrer se os cartões forem compartilhados com terceiros ou se forem usados para comprar produtos ou serviços que a empresa não autorizou.

Para evitar esse tipo de ação, as empresas devem estabelecer regras claras de utilização dos cartões corporativos, informando quais são os fins permitidos e quais procedimentos devem ser seguidos para a sua utilização. Ainda devem monitorar o uso dos cartões e tomar medidas disciplinares em caso de comportamento inadequado.

Investimentos em Fundos Fixos não autorizados

O fundo fixo é um fundo de investimento que aplica o seu capital em ativos de renda fixa, como títulos públicos e privados. Esse tipo de fundo é considerado um investimento de baixo risco, pois a rentabilidade dos títulos de renda fixa é geralmente mais baixa do que a rentabilidade dos títulos de renda variável, mas também é mais estável. 

Os fundos fixos são uma boa opção de investimento para pessoas que buscam um rendimento mais seguro e previsível. Mas quando essa aplicação é proveniente de recursos e de canais não autorizados, pode configurar como fraude.

Imagine um tesoureiro que, tendo acesso ao capital da empresa, começa a adquirir fundos como esse em seu próprio nome. Conforme a necessidade da empresa, ele vai resgatando suas ações, ficando com os rendimentos daquele período para ele mesmo.

As empresas devem, portanto, estabelecer regras claras sobre o acesso e uso de seus ativos, monitorando o seu uso para evitar comportamentos inadequados.

Autofraude pelo consumidor

Na autofraude, o cliente pode fazer uma compra com o cartão de crédito e, depois, gerar um chargeback, dizendo que a compra não foi feita por ele, que não recebeu o produto ou que não concorda com o valor cobrado.

O chargeback, também conhecido como estorno de transação, é uma forma de reversão de pagamento. Quando ocorre, o valor original da compra é devolvido ao cartão de crédito. No entanto, a empresa que recebeu o pagamento também tem o valor descontado da conta, o que pode gerar prejuízos para a empresa.

Existem algumas maneiras de prevenir a autofraude, entre elas estão a criação de um processo para cancelar as compras. O processo deve ser bem simples e rápido e deve incluir a confirmação da senha ou do CPF para evitar que o cliente cancele a compra por engano.

Essa facilidade deixa muito mais fácil a identificação de um pedido de estorno fraudulento. O mesmo deve ser feito para os processos para cancelar contratações de serviços

Ações de interceptação indevida

Interceptação indevida é quando uma pessoa não autorizada intercepta ou obtém acesso a uma comunicação, um dado, uma informação ou um recurso sem o conhecimento ou o consentimento das pessoas e instituições envolvidas. A fraude se configura quando essa interceptação é feita de forma ilegal ou fora das regras aplicáveis.

Evitá-la exige um certo comprometimento das empresas, pois envolve processos complexos de monitoramento e análise de dados.

Uso de Caixa Flutuante não autorizado pela companhia

O caixa flutuante é uma parte do caixa da empresa destinada ao pagamento de despesas menores. Pode ser definido como fraude quando o recurso é utilizado de forma indevida, destinando pagamentos secretos para a empresa em benefício do agente fraudador.

É um mecanismo contábil, se utilizado corretamente, e não deve ser considerado comportamento fraudulento nesses casos. Para evitar fraudes, a abordagem de monitoramento é a mais recomendada para a maioria das empresas.

Concluindo, as empresas devem tomar medidas para evitar fraudes, como estabelecer regras claras de utilização de seus recursos e monitorar o uso de cada um deles, inclusive na comunicação entre os colaboradores.

Além disso, é necessário desenvolver e tomar medidas disciplinares em caso de comportamento inadequado que possam gerar prejuízos para as empresas. Devem, também, ter um plano de ação para lidar com as inúmeras situações de fraude em compras para minimizar os danos causados. Para isso, é importante contar com ajuda de pessoal especializado em tecnologia e segurança.

Nesse caso, você pode contar com a Scala. Temos os especialistas mais bem preparados do mercado para ajudar a sua empresa a ir cada vez mais longe! Entre em contato e descubra em que podemos ajudar!