A tecnologia está cada vez mais presente em nosso dia a dia. Serviços financeiros, compras, notícias e entretenimento estão cada vez mais disponíveis online. Por isso, é importante que as pessoas se atentem para a tecnologia e saibam como aproveitar as novidades de forma segura. Entender como funciona o NFT pode ser a dúvida de muitos.

É um recurso que está sendo utilizado para a venda de itens virtuais, como imagens e vídeos. A importância de pesquisar sobre o NFT antes de investir nele, ou em qualquer outra novidade que apareça no mercado, deriva da necessidade de minimizar os riscos — coisa que também faz parte da vida de qualquer investidor.

Por esse motivo, trazemos este artigo para contar os principais detalhes do NFT para você. Saberemos de que forma essa tecnologia funciona, como os itens podem ser produzidos e por quais meios é possível adquirir esses produtos. Vamos lá?

Entenda como funciona o NFT

O NFT é uma forma criptográfica de representar qualquer produto existente no “mundo digital” agregado a um valor no “mundo real”. A palavra “NFT” em inglês significa “non-fungible token”, ou seja, tokens não fungíveis. Os tokens são pequenos pedaços de dados, organizados de maneira única e utilizados pelo provedor de serviços para identificar determinado usuário ou arquivo.

Já os chamados “Tokens Fungíveis”, por sua vez, são ativos que podem ser cambiados com facilidade. Já estamos bastante acostumados com eles. Esses tokens fungíveis podem ser considerados indistinguíveis uns dos outros. Isso fica visível ao usar Bitcoin (BTC) para a compra do Ethereum (ETH) em alguma plataforma.

Já os NFTs são únicos, exclusivos e irreplicáveis — um arquivo .mp3 (música) ou .jpg (imagem) pode ter milhares de duplicatas, mas apenas um original. No caso do NFT, não há duplicatas daquele arquivo, pois ele é criado com a mesma regra de uma criptomoeda (não podemos ter duas cédulas de dinheiro com a mesma numeração, não é mesmo?) Isso acontece também com NFTs e criptomoedas.

A seguir, adentramos nos detalhes sobre o funcionamento dessa tecnologia.

Sobre a tecnologia de cryptocurrency e blockchain

A Cryptocurrency (ou criptomoeda) surgiu da necessidade de um meio de troca eficiente e seguro que pudesse ser usado sem a intervenção do governo. Bitcoin, a primeira moeda digital do mundo, foi criada em 2009 com essa finalidade. Desde então, surgiram outras moedas. 

Sua existência só foi possível graças à blockchain: uma tecnologia recente que garante maior segurança, descentralização e anonimato durante as transações. 

A blockchain pode ser explicada como uma rede de computadores ligados por um protocolo de comunicação, onde as informações são registradas e compartilhadas em tempo real. Isso permite que qualquer pessoa possa ver o histórico completo das transações em andamento e já finalizadas na rede, sem a necessidade de intermediários. Mas o que tudo isso tem a ver com NFT? Continue a leitura e descubra.

Entenda como um NFT é fabricado

Para que você possa criar um NFT, é preciso, primeiro, que haja uma rede blockchain disponível. É exatamente a tecnologia de blockchain, a mesma das criptomoedas, que permite a existência das NFTs, pois, com ela, é garantida a segurança e a transparência necessárias para esse tipo de ativo. 

Além disso, ela também possibilita que os NFTs sejam facilmente transferidos entre diversos usuários, sem a necessidade de intermediários e de maneira bastante segura, possibilitando a sua negociação em um mercado bastante amplo.

Quer investir em NFTs? Atenção para essas dicas

Os investimentos em NFTs devem ser realizados por meio de plataformas especializadas que permitem a compra e venda desses ativos. Entre as maiores plataformas presentes no mercado, podemos encontrar:

A boa notícia é que essas plataformas têm se mostrado bastante seguras até o momento, sendo possível adquirir sem problemas e de qualquer lugar do mundo esse tipo de ativo digital. No entanto, antes de selecionar uma determinada plataforma, é importante fazer alguma pesquisa e garantir que você realmente vai usar um serviço legítimo.

Negocie com muita calma

É importante perceber não há um mercado centralizado para NFTs. Isso significa que os compradores e vendedores negociam diretamente uns com os outros, o que pode tornar as coisas mais complicadas se algo der errado durante a negociação. Além disso, não há garantias de que um NFT seja genuíno (original e com as devidas autorizações de copyright) ou de qualidade superior (detalhes que apenas aqueles que vêm estudando muito a área conseguem notar).

Por isso, é importante fazer pesquisas antes de comprar um e não agir no impulso para começar sua coleção. Do contrário, você estaria colocando seu investimento em risco!

Comece bem no mercado de NFT: ter atenção aos mínimos detalhes é muito importante

O mercado das NFTs ainda está em desenvolvimento e, como tal, é importante tomar alguns cuidados antes de entrar de cabeça nesse mundo. É crucial pesquisar sobre os detalhes das plataformas de negociação de NFTs de que você mais gostou, para se familiarizar com os riscos envolvidos. Além disso, é importante investir somente o dinheiro que você está disposto a perder, pois há uma chance real de perder tudo.

Por conta da descentralização, os valores desses ativos são muito voláteis. Para você ter uma ideia, um NFT muito famoso, vendido por quase 3 milhões de dólares, sofreu uma desvalorização de 99% em seu último leilão, tendo ofertas inferiores a 15 mil dólares.

A obra não era nada menos do que a primeira mensagem do Twitter enviada por Jack Dorsey, fundador da empresa. A venda ocorreu em março de 2021.

Outras possibilidades incluem o particionamento de alguns desses tokens. É possível, ao criar um NFT, definir um número específico de cotas daquele produto. É o caso do NFT “The Merge”, considerado o que mais fez dinheiro até agora nesse mercado. O artista dividiu a obra em 30 mil cotas e angariou uma quantia superior a 90 milhões de dólares com uma única arte.

Por outro lado, assim como acontece com obras de artistas desconhecidos e que posteriormente se consagram, o valor de um NFT pode aumentar consideravelmente em relação ao seu preço inicial, levando essa condição também para as obras de artistas digitais.

Viu só como saber como funciona o NFT não é tão complicado quanto parecia? Vimos que é um ativo digital bastante conectado com a arte e com colecionadores. É possível colecionar NFTs e negociá-los como se fossem criptomoedas. Sua valoração no mercado é descentralizada, o que exige cuidados adicionais por quem tem a intenção de investir nessa área.

Quer saber mais novidades fresquinhas do mercado de tecnologia? Acesse e siga-nos em nossas redes sociais! Estamos no Facebook e no LinkedIn!