Cloud Computing e Inteligência Artificial: como contribuem para as empresas?

A evolução tecnológica aplicada aos negócios têm exigido cada vez mais atenção das empresas que hoje passam pela transformação digital. Entre as novidades nas mais diversas áreas, a Cloud Computing e Inteligência Artificial têm sido, talvez, as principais delas.

O universo corporativo vem utilizando essas evoluções de maneira integrada, visando otimizar os processos internos, reduzindo custos e, ao mesmo tempo, aumentando a produtividade.

Neste artigo, abordaremos os aspectos mais importantes que unem essas duas áreas, ajudando você a entender quais são as contribuições nos ambientes empresariais, seus benefícios e alguns detalhes sobre as soluções em que são aplicadas. Boa leitura!

Qual o papel da Cloud Computing nas empresas?

Cloud Computing ou computação em nuvem, é um termo utilizado pela área de Tecnologia da Informação (TI) e designa qualquer forma de processamento de dados sendo realizada de maneira remota em relação ao local em que é utilizado. Estão em grandes infraestruturas mantidas por empresas especializadas no oferecimento desses serviços.

São muitas as vantagens que o Cloud Computing pode trazer para uma empresa. Talvez a principal delas é a redução de custo ao deixar o setor de TI mais enxuto. Isso porque não teremos mais que nos preocupar com nosso servidor, por exemplo, realizando a manutenção ou atualização dele.

Os serviços oferecidos por meio da tecnologia de Cloud Computing são também muito variados. A empresa pode contratar tanto serviços de armazenamentos de dados quanto serviços de processamento — é possível encontrar no mercado diversos softwares, como CRMs, ERPs ou plataformas de monitoramento que funcionam exclusivamente em nuvem.

No caso desses serviços, os benefícios que a tecnologia traz para as corporações ainda vão além da economia. Ela dá uma maior mobilidade e autonomia aos colaboradores, o que facilita, também, a execução de modelos de trabalho mais flexíveis, como o home office.

A estrutura necessária para que sua empresa possa processar e armazenar as informações internas de maneira segura será reduzida a apenas dispositivos com acesso à internet.

Qual o papel da Inteligência Artificial nas empresas?

A Inteligência Artificial (IA) está bastante próxima da Cloud Computing. Isso porque para o funcionamento adequado de um sistema artificialmente inteligente, é necessário o armazenamento e processamento de uma quantidade bastante significativa de dados — conhecida por Big Data.

Os sistemas cloud são capazes de trabalhar com conjuntos de dados dessa magnitude. Para isso, são elaborados complexos algoritmos que permitem processá-los de forma que se tornem legíveis e úteis do ponto de vista estratégico. Os algoritmos, por sua vez, são códigos de computação que descrevem um determinado raciocínio a ser executado por uma máquina e aplicados sobre os dados organizados.

Essa organização feita por uma inteligência artificial é capaz de ajudar aos gestores a encontrarem problemas internos, como falhas no sistema de produção ou possíveis pontos de otimização de processos.

As soluções que a Inteligência Artificial traz para nossas empresas podem ser, muitas vezes, não tão complexas. Com as vastas possibilidades de conexão entre os variados dispositivos no dia a dia, muitas empresas têm adotado sistemas de IA para realizar o atendimento ao consumidor de maneira autônoma, por exemplo — daremos mais detalhes adiante.

Muitas outras soluções são possíveis e diariamente o mercado testemunha a chegada de novas tecnologias que utilizam a IA para funcionarem.

Quais as principais soluções dessas tecnologias que podem ser adotadas nas empresas atualmente?

Agora que sabemos alguns detalhes sobre essas duas áreas é mais fácil entendermos sobre o funcionamento das soluções que adotam ambas as tecnologias. Essa união pode garantir às empresas uma abordagem mais dinâmica dos problemas, assim como um monitoramento mais efetivo — favorecendo otimizações necessárias para uma evolução contínua, em um mercado extremamente competitivo.

Acompanhe, a seguir, as principais novidades que a Inteligência Artificial e a Cloud Computing estão oferecendo e em que elas podem ajudar em sua empresa.

Sobre o atendimento automatizado dos clientes

Saiba que atualmente podemos oferecer um atendimento 100% automatizado para nossos clientes. Os sistemas de inteligência artificial têm um enorme potencial nesse setor. Isso porque eles são capazes, cada vez mais, de projetar análises e realizar previsões precisas, como satisfação com o atendimento ou problemas recorrentes em determinado setor, sem contar com as possibilidades de simular um atendimento humano.

Usando da alta capacidade de processamento de dados da Cloud Computing, o uso de IA consegue proporcionar soluções mais satisfatórias no atendimento dos clientes e na otimização dos processos internos para as empresas, prevenindo prejuízos.

Sobre a otimização dos processos internos

A área de logística é um exemplo daquelas áreas que mais se modificaram nos últimos tempos. Sem dúvida que a inteligência artificial e a Cloud Computing contribuíram para a aplicação de novos processos, de modo a otimizar a cadeia produtiva e o cotidiano da maioria dos setores empresariais.

As aplicações variam, como a automatização dos mais diversos tipos de tarefas, no armazenamento seguro de arquivos, monitoramento de entrada e saída de produtos ou necessidade de comunicação instantânea entre os colaboradores.

Adequar-se às necessidades do mercado é muito importante

A adoção, pelo mundo corporativo, de sistemas em nuvem e de soluções de inteligência artificial, é quase mandatória. Com o mundo dos consumidores já bastante conectado, ficar à parte dessas novas tendências pode ser prejudicial para a saúde dos negócios.

O compartilhamento avançado de informações é um dos principais motivos para essa necessidade. A utilização de recursos (como IA e Cloud Computing) de maneira integrada possibilita às empresas uma leitura mais aprofundada e precisa do funcionamento de seus negócios.

Por meio de análises de dados, os gestores terão maior segurança para tomadas de decisões mais vantajosas para os empreendimentos.

Saiba que, muitas vezes, a implementação de alguns desses sistemas e soluções que apontamos pode ser facilmente aplicado em seus negócios. Em alguns deles, é necessário apenas a disponibilização de um login e senha para serem utilizados por seus colaboradores — essa é uma vantagem que fez com que os sistemas em nuvem viessem para ficar.

Se você quer mais informações sobre Cloud Computing, inteligência artificial e ficar por dentro das últimas inovações que o mercado tecnológico traz para as empresas, acompanhe-nos em nossas redes sociais! Curta agora mesmo nossa página no Facebook, sempre trazemos informações novas, repletas de oportunidades de inovação para você e sua empresa!


Machine Learning nas empresas: como essa tecnologia tem sido usada?

É verdade que muitos gestores têm se perguntado como aplicar o Machine Learning em suas empresas. Esse conceito vem ocupando a cada dia mais espaços na indústria — sendo usado em suas diversas formas e nos diferentes setores.

Se você chegou neste artigo buscando saber mais sobre como as empresas conseguem melhores análises e soluções de problema com o uso de algoritmos avançados e supercomputadores, você está no lugar certo!

Abordaremos, no decorrer desse post, quais são algumas das principais aplicações para essa tecnologia e o que você deve fazer para preparar a sua empresa para receber essa inovação. Vamos lá?

O que é Machine Learning?

Saiba que desde meados do século passado já nos perguntávamos se as máquinas podem pensar por si mesmas. O teste de Turing foi criado em 1950 buscando responder a essa pergunta e desde então diversas evoluções na área tecnológica foram aplicadas e muitas delas aproximaram as máquinas de um “pensamento autônomo”.

Machine Learning pode ser traduzido como "aprendizado de máquina", basicamente. A partir do uso de algoritmos — passos para realizar uma ação, ou, ainda melhor, uma linha de raciocínio escrita de maneira que um computador entenda — conseguimos obter análises e previsões a partir de dados, o que seria humanamente impossível de ser processado e compreendido de forma eficiente

As bases para as ações realizadas pela Machine Learning são conjuntos massivos de dados, ou Big Data: um grupo bastante variado de informações que apresentam tamanhos estratosféricos se comparados a dados convencionais.

O aprendizado que a máquina pode realizar para automatizar decisões só funciona quando temos uma grande variedade e quantidade de dados disponíveis. Esses dados podem ser provenientes de fontes públicas como plataformas de anúncios e redes sociais, assim como os próprios canais da empresa (site institucional ou loja virtual, por exemplo) e levam tempo para serem obtidos.

Por isso, se a sua empresa já faz a mineração desses dados, mas ainda não usa recursos de Machine Learning para otimizações, é bom correr. Uma empresa nessa condição pode se tornar defasada e perder espaço muito espaço no mercado, colocando em risco a saúde do negócio.

Como aplicar a Machine Learning em minha empresa?

As soluções trazidas pela Machine Learning tem sido procuradas por boa parte do mercado, em todos os setores. Com a previsão de que sejam investidos quase 100 bilhões de dólares em Machine Learning até 2025, podemos dizer que esse, muito provavelmente, será um dos principais investimentos das indústrias e prestadores de serviço nos próximos anos.

As aplicações que essa solução pode ter nas empresas são muito variadas e dependem tanto dos processos corporativos internos, quanto da quantidade e qualidade de dados disponíveis para análises.

Pensando em ajudar você a compreender sobre essas soluções e se o uso da Machine Learning será realmente vantajoso para a empresa, trouxemos alguns exemplos sobre como essa tecnologia pode ser aplicada nos negócios.

Acompanhe, na sequência, quais são os principais processos nos quais essa tecnologia pode ter um papel essencial na gestão de sua empresa.

No controle de qualidade

O controle de qualidade pode ser uma tarefa árdua para muitas empresas e muitas vezes processos manuais de avaliação podem ser impossíveis de serem adotados devido à sua complexidade. A Machine Learning dispõe de algumas abordagens que podem suprir com essas necessidades.

Por meio de algoritmos, é possível realizar análises dos mais diversos componentes presentes nas corporações. O controle de qualidade feito por meio desses recursos busca identificar padrões qualitativos e, uma vez que essa informação seja processada, aplicar uma avaliação correspondente durante a linha de produção.

Um bom exemplo a ser usado em uma indústria que, através da mensuração de medidas como peso, tamanho e coloração, define a qualidade de uma unidade qualquer durante a linha de produção, seja um biscoito ou peça automotiva. Inclusive, imagens de referência também podem ser usadas durante esse processo de classificação realizado pelos algoritmos de Machine Learning.

Na identificação de lacunas no sistema e problemas humanamente indetectáveis

Imagine contar com um aspecto onipresente durante o gerenciamento de seus negócios — é mais ou menos isso que a aplicação da Machine Learning, de forma integrada nos setores de uma empresa, pode parecer à primeira vista.

Diversos tipos de dados, como, por exemplo, informações sobre colaboradores, opiniões de clientes e aspectos gerais do mercado são informações simples que o aprendizado de máquina utiliza para realizar análises complexas.

Essas informações são processadas para que a solução possa fazer uma análise consistente, indicando gargalos e riscos iminentes de alguma falha na produção — tudo baseado em informações e estatísticas realizadas em tempo real. Com isso, é possível desenvolver e aplicar estratégias de negócio e alcançar metas e objetivos de forma assertiva.

Na logística de diversas áreas do universo corporativo

A logística é uma das áreas que podem ser uma das mais afetadas pelo uso da tecnologia de Machine Learning. Isso já era de se esperar por aqueles que sabem o quão dinâmico pode ser esse setor em qualquer empresa.

Os processos logísticos podem variar muito e compõem uma imensa diversidade de aplicações. De forma prática, as soluções a partir de Machine Learning podem permitir, por exemplo, que uma empresa saiba para onde direcionar os seus produtos de maneira mais precisa e quais horários são os mais adequados para o transporte e deslocamento.

A Machine Learning e seu futuro nas empresas

As soluções dependentes do uso de Machine Learning têm se solidificado no ambiente corporativo e a tendência é que essa tecnologia ocupe ainda mais espaço em um futuro próximo. A adequação a essas mudanças faz parte de um bom gerenciamento empresarial em um mundo moderno e conectado.

Portanto, é importante não perder tempo — o estudo da área pelos gestores e a contratação de empresas parceiras especializadas nessas novas capacidades administrativas é de suma importância para uma manutenção otimizada dos negócios. O número de soluções desenvolvidas através dessa tecnologia será cada vez maior, estando disponível para os mais diversos setores.

E aí, gostou de saber a diversidade de soluções possível oferecidas pelos recursos da Machine Learning. Compartilhe esse artigo em suas redes sociais para que mais pessoas saibam como essa tecnologia está impactando as empresas.


4 benefícios de criar uma política de governança de dados na empresa

Os dados se tornaram vitais para o bom funcionamento das organizações. Por meio deles, é possível desde aperfeiçoar o atendimento ao consumidor até lançar serviços inovadores. Mas tudo isso depende de uma boa política de governança de dados, que ajuda a manter a qualidade e segurança das informações geradas, coletadas e armazenadas pela sua empresa.

De nada adianta ter um grande volume de dados se, na hora em que a sua equipe necessita, eles não estão disponíveis para uso. A governança de dados evita que esse e outros tipos de problemas aconteçam, de modo que os dados cumpram o seu papel de orientar as ações operacionais e estratégicas e de potencializar os resultados.

Neste post, vamos mostrar a importância e os principais benefícios de investir na governança de dados da sua empresa. Confira!

O que é governança de dados?

De forma direta, a governança de dados pode ser definida como a gestão de processos, políticas, tecnologias e pessoas, a fim de estruturar as informações que circulam dentro da empresa. Para isso, ela utiliza um conjunto de práticas e ferramentas que asseguram a organização dos dados, de modo otimizado e seguro.

As práticas e padrões adotados pela empresa visam minimizar os erros associados à manipulação de dados, o que melhora o desempenho das suas operações e reduz custos. Com isso, os dados estarão sempre disponíveis e poderão ser acessados apenas pelas pessoas devidamente credenciadas, o que faz deles ativos valiosos para o crescimento do negócio.

Qual é o papel da política de governança de dados dentro das empresas?

A finalidade da governança é estabelecer uma linguagem única de dados. Na prática, isso quer dizer que cada área da organização vai saber com exatidão o que cada dado significa — fator que evita o uso de informações erradas para construir relatórios, gerar insights ou fazer divulgações.

Segundo uma pesquisa realizada pela Serasa Experian, 28% dos dados disponíveis nas empresas apresentam uma divergência ou erro. Portanto, cerca de mais de ¼ das informações usadas como referência para tomadas de decisão estão incorretas, o que pode levar a organização a criar planejamentos e executar ações ineficientes, já que não há embasamento em um cenário real. O resultado final disso é o desperdício de tempo dos colaboradores e também de dinheiro.

Ao olhar para todo o ciclo de vida das informações que entram na companhia, a governança contribui para que os dados utilizados na rotina de trabalho sejam altamente confiáveis e de qualidade, servindo como guia para a construção de planos bem-sucedidos.

Como funciona o plano de governança de dados

Um plano de governança de dados funciona com base no gerenciamento de procedimentos, regras, profissionais e ferramentas tecnológicas. O seu ponto de partida é coordenar e garantir a proteção das informações da empresa.

Uma vez implementada a governança, todos os dados que entram e são gerados pela organização devem ser tratados de acordo com as regras de conduta definidas e difundidas entre todos os departamentos. Para facilitar o cumprimento dessas normas, o mais adequado é elaborar um manual com todas as orientações a serem seguidas e disponibilizá-lo aos colaboradores.

Também é indispensável adotar o uso de sistemas que façam o controle simultâneo das informações da companhia, o que ajuda na rápida detecção e correção de erros, além de evitar equívocos ou perdas que podem acontecer quando esse controle é realizado de modo manual.

Quais são os principais benefícios da governança de dados?

Você já parou para pensar em como seria o futuro da sua empresa sem dados? Na atualidade, é impossível manter o pleno funcionamento dos seus negócios sem a coleta, tratamento e análise das informações pertinentes para as suas atividades. Afinal, elas são cruciais para tomar decisões seguras.

Quando não há uma governança de dados adequada, a companhia não só sofre com a falta de organização para localizar as informações necessárias para a execução dos seus serviços, como também fica exposta a uma série de riscos. Veja, a seguir, quais são os benefícios de implementar essa iniciativa.

1. Aumenta a eficiência da empresa

Sem dúvidas, um dos principais benefícios de um bom planejamento e implementação da governança de dados é a melhora gradativa da performance e produtividade das suas equipes. Com procedimentos mais eficazes e um conhecimento aprofundados das normas que devem ser respeitadas quanto ao uso de dados na empresa, pode-se evitar erros e retrabalhos.

A constante repetição dos padrões definidos para o controle dos dados faz com que o fluxo de trabalho transcorra com maior facilidade e agilidade. Tudo isso otimiza o gerenciamento de tempo e agrega eficiência para a organização, permitindo entregas rápidas e com maior qualidade ao público consumidor.

2. Reduz custos

Inicialmente, a implementação da governança de dados pode parecer um gasto a mais para a sua organização, o que se deve ao fato de ser necessário adquirir novas tecnologias. No entanto, na contramão desse pensamento, a iniciativa reduz os seus custos operacionais, tendo em vista que diminui a incidência de erros e retrabalhos que demandam investimento financeiro. Por sua vez, a quantia economizada pode ser aplicada para suprir outras necessidades do negócio.

3. Amplia a segurança dos dados

A ausência de normas sobre quem está autorizado a acessar os dados, quando e de que forma isso deve ser feito acarreta diversos riscos para a sua empresa. Nesse cenário, cibercriminosos podem se aproveitar de eventuais vulnerabilidades para roubar ou vazar informações sigilosas, ou ainda colaboradores despreparados podem alterá-las ou acabar excluindo-as sem intenção.

A adoção da governança, com regras e ferramentas que protegem e prezam pela qualidade de dados, amplia a segurança da organização, blindando-a contra ataques de agentes exteriores ou comportamentos inadequados da sua própria equipe. Também haverá mais transparência, o que auxilia na identificação e reversão de inconformidades. Caso uma alteração seja realizada em uma informação importante, você saberá quem foi o responsável por efetuá-la ao checar a credencial utilizada e poderá tomar as medidas apropriadas para a situação.

4. Melhora a tomada de decisões

O aumento da eficiência do seu time de colaboradores e a maior segurança dos dados traz aos colaboradores uma visão completa do cenário em que a empresa está inserida. É possível identificar desde problemas a serem resolvidos até tendências de novas demandas. Isso permite que você aja antecipadamente e saia na frente dos seus concorrentes.

Como preparar a sua empresa implementar a governança de dados?

Negligenciar a importância da governança de dados é estar sob o risco iminente de ter informações sigilosas comprometidas, o que pode até mesmo inviabilizar as suas atividades. Para colocá-la em prática, você deve seguir alguns passos imprescindíveis para obter sucesso nessa jornada.

A primeira coisa a se fazer é identificar quais são as áreas da sua empresa que geram dados. Depois, é necessário classificá-los, levando em consideração que quanto mais preciso for esse processo, melhores serão os resultados da governança. Geralmente, os dados podem ser classificados da seguinte forma:

  •  impacto na empresa (importante, crítico, catastrófico);
  •  grau de confidencialidade (confidencial, uso interno, restrito);
  • severidade (severidade 1, severidade 2);
  • retenção (permanente, temporário);
  • processos de negócios (feedback, compliance);
  • classes de dados (informações pessoais, financeiras, endereço).

O próximo passo consiste em criar a definir a política e as regras para a manipulação de dados, ou seja, como poderão ser utilizados na sua rotina operacional. Dentro de uma política de Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), as informações classificadas como sensíveis não podem ser compartilhadas. Em se tratando da política financeira, por exemplo, apenas o gerente da área poderá alterar qualquer dado.

É nessa etapa que a companhia também define quais serão as soluções tecnológicas necessárias para aumentar a camada de proteção sobre as informações com as quais trabalha, como sistemas de controle de acesso, de backup corporativo e plataforma analítica de dados.

Por fim, o plano estruturado na fase anterior deve ser colocado em prática. Ao contrário do que muita gente pensa, a governança de dados não é uma disciplina a ser integrada pela área de TI, pois é responsabilidade do Chief Data Officer (CDO), profissional que acompanha a implementação e o funcionamento da iniciativa, além de estimular todos os departamentos a cumpri-la.

Fica evidente que a política de governança de dados é uma questão estratégica para as organizações. Isso porque, quando aplicada corretamente, ela protege informações valiosas para o seu negócio, aumenta a eficiência das operações e, consequentemente, a sua lucratividade. Contar com especialistas no assunto faz toda a diferença para estabelecer normas condizentes com a sua realidade operacional e que, de fato, sejam aplicadas no dia a dia da empresa.

Achou este post interessante? Siga a nossa página no LinkedIn e acompanhe mais conteúdos exclusivos!


O que é cultura data driven e por que é importante para a sua empresa

Uma única decisão errada, dependendo do seu nível de gravidade, pode comprometer todo o futuro do seu negócio. Adotar a cultura Data Driven pode evitar que isso aconteça, já que contribui para que a sua empresa se oriente por dados precisos, tendo condições de tomar decisões mais embasadas e com maiores chances de sucesso.

Em um mercado dinâmico, em que tudo muda rapidamente, é fundamental que os empreendimentos tomem decisões rápidas. Porém, isso não significa tomar qualquer decisão, já que um passo errado pode gerar muita dor de cabeça e prejuízo financeiro. Com o acesso e análise dos dados referentes às suas operações e tendências da sua área de atuação, é possível construir planejamentos mais seguros.

Quer fortalecer a sua estratégia de negócio? Neste post, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre a cultura Data Driven. Confira!

O que é a cultura Data Driven?

Em plena a era da tecnologia, o Data Science (Ciências dos Dados) se tornou um dos pilares do mundo dos negócios. Isso porque, promove o estudo e análise de dados, a fim de melhorar a performance nas organizações. Nesse cenário, surgiu a cultura Data Driven que compreende as metodologias que funcionam por meio de um banco de dados, como Business Intelligence, Big Data e Business Analytics, e geram insights valiosos para elaborar planejamentos e tomar decisões mais assertivas.

A sua finalidade é ajudar as empresas a entenderem a sua realidade e identificar as suas potencialidades para que possam suprir as necessidades dos seus clientes, se antecipar às tendências do mercado e aproveitar oportunidades que alavanquem os seus resultados. Vale ressaltar que o Data Driven não está alicerçado apenas no quanto a organização sabe a respeito do seu público consumidor, mas também no que ela não sabe.

De modo direto, a cultura orientada por dados os coloca como base para o planejamento estratégico das companhias, tanto em se tratando das ações internas quanto das externas. Em resumo, é um modo de agir estruturalmente, que trata os dados produzidos pela empresa de uma forma sistemática e com o máximo de transparência, para que sirvam de suporte para a tomada de decisões dos gestores e colaboradores em todos os processos da organização.

Qual é a importância da cultura Data Driven para a empresa?

A transformação digital mudou o mindset das empresas. Afinal, o conceito visa a incorporação do uso das ferramentas digitais na resolução dos problemas tradicionais dos negócios, o que também inclui a automatização das atividades manuais. Diante disso, a agilidade e qualidade são vistos como aspectos imperativos para manter a sua competitividade no mercado.

Com a implementação da cultura Data Driven, você consegue tomar decisões mais ágeis e precisas, diminuindo consideravelmente as chances de erros do negócio. Portanto, você passa a atender as demandas dos seus clientes em menor tempo e de forma mais eficiente — combinação essencial para conquistar a preferência do seu público-alvo em meio à concorrência.

Ao se basear em dados, a empresa pode ter um amplo conhecimento de todas as suas operações e otimizá-las, sabendo exatamente quando é a hora de fazer novos investimentos, lançar produtos ou de simplesmente cortar custos desnecessários. Portanto, o Data Driven é uma poderosa ferramenta para a condução do empreendimento, já que reduz falhas, prejuízos e amplia a sua eficiência.

Quais são os benefícios da cultura Data Driven para o meu negócio?

Imagine uma empresa em que o gestor e a sua equipe não têm dados concretos sobre o que acontece no seu ambiente de trabalho, sobre o comportamento do seu público consumidor ou as tendências do mercado. Nessas circunstâncias, as decisões são tomadas com base em “achismos” e na intuição dos profissionais, o que pode levar a ações incertas e suscetíveis a erros. Por outro lado, a orientação por dados agrega segurança às suas operações. Veja quais são os principais benefícios da cultura Data Driven.

Possibilita decisões assertivas

Sem dúvidas, uma das maiores vantagens da cultura Data Driven é oferecer um apoio sólido e zelar pela qualidade de dados para que o gestor possa tomar decisões embasadas em informações que retratam a realidade do negócio e que, portanto, são mais seguras.

Isso acontece porque quando a empresa tem acesso a estatísticas e dados reais, a tendência é que tenha mais facilidade para conceber insights estratégicos e desenvolver projetos alinhados à sua proposta de negócio. Assim, as chances de errar são reduzidas drasticamente, elevando o seu potencial de crescimento.

Traz capacidade de predição

Elaborar um planejamento estratégico é uma iniciativa fundamental para definir as metas e ganhos que o negócio deseja alcançar a longo prazo. Para isso, você necessita de diversas informações que vão desde as demandas do seu público-alvo em cada período do ano até previsões de mudanças para a sua área de atuação.

Todos esses pontos só podem ser identificados e colocados no seu planejamento quando você faz uma análise anual dos seus resultados. E para realizar esse tipo de avaliação, o gestor necessita de dados sobre o histórico de performance da empresa. Sendo assim, a cultura do Data Driven traz capacidade de predição, pois o negócio pode se basear nas informações relacionadas às operações anteriores para entender as suas tendências e projetar os passos futuros.

Otimiza os seus processos

Uma vez que você e a sua equipe têm um banco de dados à disposição, é possível analisar esses dados e transformá-los em informações preciosas para o direcionamento do seu negócio. Entre as principais consequências dessa possibilidade está a otimização dos seus processos internos, pois a gestão deixa de gastar tempo, esforço e dinheiro em ideias incertas e passa a atuar de forma estratégica, se concentrando apenas em ações que realmente podem ser bem-sucedidas.

Reduz custos

A partir da implementação da cultura Data Driven, a empresa estabelece uma gestão de risco mais eficiente, impedindo que eventuais possibilidades de falha se concretizem. Sem falar que a tecnologia também é usada como uma aliada para o funcionamento de todos os seus setores, o que faz com que os seus recursos sejam melhor aproveitados. As combinações desses dois pontos contribuem para redução de custos, já você deixa de desperdiçar dinheiro com projetos ineficazes e retrabalhos.

Quais são as melhores estratégias para reforçar a cultura Data Driven?

Não basta contar com diversos sistemas que geram dados valiosos para o seu negócio, se você não os utiliza adequadamente na rotina operacional. Dito isso, é necessário que a cultura Data Driven seja reforçada em todas as ações da empresa para que se torne algo natural e parte do pensamento estratégico do gestor e colaboradores. Acompanhe quais são as melhores práticas para fortalecer a adoção do conceito no ambiente de trabalho.

Faça do Data Driven uma prática de gestão

Os líderes da organização devem ser os primeiros a valorizar a tomada de decisão orientada por dados. Esse comportamento é substancial para estimular as equipes que estão sob o seu controle a agir da mesma forma, deixando para atrás opiniões não fundamentadas que levam a empresa a seguir ideias e projetos que não condizem com a realidade do próprio empreendimento ou do mercado.

Defina métricas adequadas

É importante ter em mente que tudo aquilo que não pode ser mensurado, consequentemente, não pode ser melhorado. Partindo desse princípio, é altamente recomendado definir métricas relevantes para monitorar o uso de dados na companhia. Com isso, pode-se verificar a eficiência da coleta, análise e aplicação das informações obtidas, melhorando esses processos continuamente.

Corrija problemas de acesso

A democratização do acesso é um dos maiores desafios dentro da cultura de orientação por dados, visto que requer a utilização de informações alocadas em diferentes setores da empresa. Levando isso em consideração, há de se criar iniciativas que facilitem o acesso seguro aos dados para os profissionais que necessitam deles para a execução de suas atividades.

A cada dia que passa a tecnologia potencializa a performance das empresas. Mediante a alta competitividade do mercado, você não pode se dar ao luxo de errar seguidas vezes, já que isso abre espaço para que a concorrência ultrapasse o seu negócio com maior facilidade. O futuro do mundo dos negócios vai ser analítico, assim, a implementação da cultura Data Driven é vital para acessar informações que retratam as suas operações com alto grau de fidelidade e tomar decisões mais acertadas que impulsionem os seus resultados.

Quer ter mais controle sobre o seu uso de dados? Entre em contato com a Scala agora mesmo e conheça as nossas soluções!


Entenda qual é a importância da transformação digital nas empresas

O processo de transformação digital nas empresas é uma realidade cada vez mais presente em diversos setores da economia. O isolamento social causado pela pandemia da Covid-19 apenas acelerou uma mudança que já estava em curso. Seja para melhorar a relação do seu empreendimento com o público ou para torná-lo mais eficiente, incorporar as novas tecnologias se tornou algo indispensável para empresas que pretendem crescer no mercado.

Com o aumento da competitividade, é necessário investir em mudanças na forma de empreender, aproveitando as funcionalidades que a tecnologia oferece. Para esclarecer quais são as principais modificações que a transformação digital pode oferecer à sua empresa, continue a leitura!

O que significa transformação digital?

A transformação digital é um processo complexo e capaz de oferecer grandes mudanças a qualquer empresa que se comprometa com sua implantação, gerando uma tendência de hiperautomação. Ela pode ser entendida como os diferentes formatos em que a tecnologia consegue ser empregada para ampliar o desempenho, o alcance ou os resultados atuais do negócio.

Tal mudança não envolve apenas a inclusão de alguns aparatos tecnológicos, mas exige a transformação do mindset de toda a corporação, desde sua organização interna até o seu relacionamento com o cliente.

Qual é a importância da transformação digital nas empresas?

A diferenciação é uma das principais estratégias que empresas podem adotar para atrair ainda mais consumidores e expandir as fronteiras de seus negócios. Incluir o processo de transformação digital em sua empresa contribui para que ela se torne mais eficiente e competitiva, permitindo ampliar o engajamento com os clientes.

O ambiente virtual entrou no cotidiano de grande parte das pessoas por conta da pandemia e, mesmo após a vacinação, os hábitos adquiridos permanecem. Assim, a presença da empresa no ambiente digital, a automação de processos burocráticos e a inclusão de novos recursos para o atendimento ao cliente são indispensáveis para contar com um negócio bem-sucedido.

Como implementar corretamente a transformação digital?

Saber como implementar a transformação digital na empresa é importante para atingir os objetivos e evitar erros nos processos. Para auxiliar você nessa tarefa, preparamos algumas dicas que podem ajudar. Confira!

Recorra aos dados

A fim de conseguir bons resultados com a transformação digital na empresa, a análise e gestão de dados deve se tornar amplamente utilizada por todos os setores do negócio. Assim, a instituição tem informações mais concisas para melhorar a eficiência dos processos na organização.

Uma boa alternativa é adotar uma plataforma com fácil acesso aos integrantes da empresa, sem ser necessário contar com cientistas de dados para otimizar os resultados. Além disso, os colaboradores também devem ser envolvidos no processo.

Treine os funcionários

Contar com funcionários capacitados e que entendam de que forma precisam usar as ferramentas disponibilizadas para o desenvolvimento do trabalho de modo eficaz é muito importante para ter resultados nas soluções inovadoras da empresa.

Portanto, é necessário investir em treinamentos e educação contínua sobre as novas tecnologias adotadas no negócio. Dessa maneira, os colaboradores vão saber como se portar e de que forma utilizar todas as informações disponíveis para melhorar o desempenho próprio e da empresa.

Incentive a cultura de inovação

Proporcionar uma cultura de inovação é fundamental para assegurar o crescimento em longo prazo na instituição. Por meio dela, você consegue se diferenciar dos concorrentes, transformar o modelo de negócio atual encontrado na empresa e ainda maximizar o lucro do negócio.

Além disso, é importante que você ofereça ferramentas, soluções e liberdade aos colaboradores, propiciando um ambiente seguro que lhes permita dar ideias inovadoras, capazes de ajudar a empresa a ganhar ainda mais relevância no mercado.

Quais são as principais razões pelas quais devo investir na transformação digital?

Por meio do processo de transformação digital, é possível sair na frente da concorrência e alcançar uma fatia maior do seu mercado. A tendência é que todos os concorrentes passem por tal transformação, e as empresas que começarem esse processo mais cedo tendem a aproveitar essa vantagem.

Aumento da eficiência nos processos operacionais

Com o uso de softwares e demais dispositivos eletrônicos, é possível automatizar diversas atividades do cotidiano. Isso significa que você pode alocar o capital humano de sua empresa para tarefas que envolvam alta demanda intelectual e repassar para seus computadores e programas o trabalho administrativo e burocrático.

Isso também permite diminuir as falhas e erros nos procedimentos, como preenchimento de notas fiscais, alimentação do banco de dados da empresa, envio de informações para órgãos do governo e demais atividades dessa natureza.

Melhoria na experiência do cliente

Por meio de mudanças na estrutura interna da empresa, a experiência do cliente se torna ainda melhor. Seja por conta de um atendimento rápido, por conta de um sistema de logística capaz de entregar seus pedidos em menos tempo, seja em razão de uma interação mais proveitosa nas redes sociais.

A transformação digital contribui para que a corporação esteja presente no ambiente virtual e se torne acessível no dia a dia dos seus consumidores. Por meio dessa mudança, o processo de fidelização do público se torna ainda mais simples e a jornada de compra mais longa.

Motivação da equipe

Com a adoção de soluções que proporcionem um ambiente inovador e colaborativo, o seu time de colaboradores tende a ficar mais motivado e comprometido em buscar o sucesso do negócio. Além disso, com tais estratégias, eles se sentem parte da empresa e enxergam possibilidades de crescer em conjunto com o negócio.

Portanto, se você quer ter funcionários engajados e comprometidos com o sucesso da organização, adotar soluções inovadoras e implementar uma cultura de transformação digital pode ser um caminho muito interessante. Assim, você também ganha eficiência nos processos digitais e físicos e encontra formas de se diferenciar da concorrência, mantendo-se na liderança do mercado e maximizando os lucros.

Viu como a transformação digital nas empresas é um processo fundamental para seu desenvolvimento? Além de tornar sua equipe mais eficiente nas atividades cotidianas, a corporação tem a possibilidade de ampliar sua presença virtual e estreitar a relação com o público-alvo. O primeiro passo para iniciar a transformação do seu negócio é entender que esse processo vai acontecer e quem se adaptar antes vai tirar proveito de suas vantagens.

Gostou do nosso artigo? Então, compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais e contribua para que seus amigos e familiares entendam a importância de se adaptar a essa nova realidade!


Data Science: o que é e qual é a sua importância?

Na atualidade, deixar de analisar os dados do negócio na hora de tomar decisões de gestão ou operacionais é como tentar acertar um alvo no escuro. Isso porque os dados podem ser considerados recursos infinitos que, quando trabalhados corretamente, permitem insights valiosos para qualquer empresa. Nesse cenário, saber o que é Data Science ajuda a orientar os processos e, consequentemente, melhorar os resultados.

As empresas estão cada vez mais conectadas, utilizando plataformas que geram um grande volume de dados. E eles podem e devem ser utilizados no aprimoramento das operações. É exatamente isso que o Data Science, ou Ciência de Dados, propõe. Quer saber mais?

Neste post, vamos mostrar o que é Data Science e como esse recurso se tornou indispensável para qualquer companhia que deseja crescer de forma estratégica. Confira!

O que é Data Science?

Nunca se produziu tantos dados como nos dias de hoje. A cada operação realizada dentro da plataforma de atendimento de uma empresa, por exemplo, são gerados novos dados. Porém, de nada adianta gerá-los em grande quantidade se não forem devidamente aproveitados.

A Data Science vem justamente para dar sentido aos dados coletados pelas organizações. Trata-se de um conjunto de teorias, técnicas, algoritmos, parâmetros de observação e princípios que ajudam as companhias a entenderem esses dados e transformá-los em informações úteis para o direcionamento do negócio.

Para isso, o recurso prevê a coleta de dados das mais variadas fontes utilizadas pela empresa e a sua análise para a tomada de decisão, de maneira preditiva.

Também chamada de Ciência de Dados, a Data Science está alicerçada no estudo disciplinado dos dados e informações não focadas, que resultam de todas as tarefas executadas pelas organizações. Entre os pilares desse estudo estão:

  • matemática;
  • estatística;
  • mineração e visualização de dados;
  • área de negócios;
  • programação;
  • computação.

Apesar de essa área se caracterizar como multidisciplinar, a matemática e a estatística são cruciais na aplicação de Data Science, visto que possibilitam a construção de modelos de análise de dados para realizar predição futura. Portanto, sua finalidade principal é gerar insights que ajudem os gestores e suas equipes a compreender quais são os melhores caminhos a serem seguidos a partir das análises efetuadas.

Qual é a sua importância?

Em um mercado extremamente dinâmico e de alta competitividade, a informação vale ouro. Diante disso, a Data Science se torna fundamental para que os negócios possam extrair dados e convertê-los em informações e conhecimentos que aperfeiçoam a tomada de decisão — trazendo melhorias contínuas aos processos internos.

Os profissionais que atuam na Ciência de Dados fazem a interpretação pura das informações obtidas, tendo como objetivo resolver os problemas urgentes detectados na empresa. Todas essas informações podem ser repassadas à equipe de Business Intelligence para que as utilizem a fim de criar estratégias que conduzam a organização ao alcance de suas metas.

Sendo assim, a Data Science é imprescindível para o mundo dos negócios, pois permite que as empresas identifiquem padrões e similaridades e tenham acesso a informações tratadas que aumentam a eficiência das suas operações. Em suma, o recurso contribui para capacitar as companhias de modo que desenvolvam estratégias baseadas em dados, trazendo resultados mais efetivos.

Quais são os benefícios da Data Science?

Ter como base apenas a intuição e o achismo dos gestores da empresa é extremamente perigoso, já que podem levá-la a seguir caminhos equivocados, que acarretam uma série de prejuízos, como investir na oferta de produtos com pouca demanda pelo seu público consumidor.

Por outro lado, quando o trabalho é orientado por Data Science, você pode entender melhor o cenário em que a organização está inserida e desenvolver planejamentos certeiros. Veja, a seguir, quais são os principais benefícios do recurso!

Aumenta a segurança dos dados

Os cientistas de dados são preparados por meio de técnicas específicas para identificar dados que se diferenciam da média recorrente dentro do banco de dados da empresa. Com isso, pode-se estabelecer metodologias estatísticas, que envolvem rede, caminho e Big Data. Juntos, esses elementos dão origem a modelos preditivos e que apontam possíveis falhas.

Na prática, isso significa que você pode criar alertas diante de situações atípicas — fator que permite que a área de TI reaja rapidamente a ações incomuns, como tentativas de ataques aos seus dados, o que ajuda a preservá-los de eventuais fraudes. A iniciativa protege não só as informações da organização, mas também as dos seus colaboradores e clientes, mantendo sua credibilidade no mercado.

Traz previsibilidade ao negócio

Ao estruturar os seus dados, a empresa adquire a capacidade de trabalhar com análise preditiva, que garante previsibilidade para o negócio. Isso é possível porque a análise de dados aponta tendências de comportamentos dentro de cada área da organização, mostrando o que pode acontecer em todas elas, tanto questões positivas quanto negativas.

Assim, os gestores podem se antecipar aos acontecimentos, bem como tomar decisões no presente que vão beneficiar o futuro da empresa. Esse ponto é um importante aliado da gestão, pois viabiliza a correção de problemas antes que causem maiores impactos ao negócio ou, ainda, o desenvolvimento de serviços que apresentam uma demanda elevada.

Facilita a interpretação de dados complexos

O grande número de tecnologias utilizadas nos processos internos das empresas gera um enorme volume de dados diariamente. Se as ferramentas, conhecimentos e técnicas adequados não forem utilizados, o cruzamento desses dados pode se tornar altamente complexo e inviável.

Nesse sentido, a Data Science também é uma solução indispensável para facilitar a interpretação de dados complexos. Por meio dela, você pode cruzar dados de diferentes categorias e operações a fim de visualizar o negócio como um todo. O cruzamento de dados do setor de vendas e de atendimento, por exemplo, possibilita entender o nível de recepção de um produto lançado recentemente.

Ajuda a tomar decisões acertadas

Devido a todos os benefícios apresentados anteriormente, a Data Science melhora o processo de tomada de decisão, uma vez que a empresa tem acesso a dados em tempo real, além de informações muito mais precisas. Dessa forma, pode-se tomar decisões embasadas em cenários verídicos, que não são somente frutos da intuição do gestor.

O uso de Data Science diminui significativamente a ocorrência de erros na rotina de operações e planejamentos. Sem falar que o recurso agrega agilidade nas ações da equipe, tendo em vista que ela pode se orientar por dados que apontam eventuais problemas, dando suporte para que possam neutralizá-los antes que causem estragos irreparáveis.

Agora que você sabe o que é Data Science, pode aplicá-lo na sua empresa e impulsionar seus resultados. Afinal, essa ciência pode ser usada em qualquer segmento e auxilia na estruturação de dados que são convertidos em insights preciosos, que favorecem o desenvolvimento de estratégias seguras e eficientes.

Se a sua empresa ainda não utiliza a Ciência de Dados na sua organização, saiba que está perdendo oportunidades de crescimento. A Scala oferece soluções de alta performance e conhecimentos especializados para que você não só saiba o que é Data Science, mas faça uma análise dados precisa, de acordo com as peculiaridades das suas operações, e aumente a sua competitividade no mercado.

E aí, gostou deste post? Então, compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais para que mais pessoas saibam o que é Data Science!


Quer aumentar as vendas da sua empresa? Veja como!

Não importa qual é a área de atuação da sua empresa, aumentar as vendas é um objetivo constante no mundo dos negócios. Porém, vender mais é também um grande desafio. Afinal, é preciso combinar conhecimentos aprofundados do mercado do qual você faz parte com técnicas e ferramentas que ajudem a atrair e fidelizar o seu público consumidor.

A evolução da tecnologia impactou diretamente a forma como os clientes interagem e consomem os produtos das empresas. Diante disso, investir em inovação se tornou imperativo para otimizar os seus processos e alavancar as suas vendas.

Quer melhorar os seus resultados? Neste post, vamos explicar como inovar contribui para aumentar as suas vendas. Confira!

Qual é a relação entre o aumentar as vendas e investir em inovação?

A maioria dos negócios enfrentou dificuldades para vender na pandemia. Passado esse período e com a retomada da economia brasileira, é hora de buscar alternativas que ajudem a ampliar as vendas.

Antes de qualquer coisa, é necessário estar ciente que, em um mercado extremamente competitivo, repensar o modo de atuação da companhia e investir em inovação são fatores indispensáveis para manter a sustentabilidade das atividades.

Somente por meio da inovação é possível alinhar o empreendimento às reais demandas do mercado. Os costumes e hábitos do público consumidor estão sempre evoluindo, estimulados principalmente pela tecnologia. Logo, adaptar-se a essas mudanças é imprescindível para permanecer relevante e atraente para a sua clientela.

Vale ressaltar que inovar também é indispensável para aprimorar, ou seja, para melhorar ainda mais os aspectos positivos do seu negócio. Com o auxílio das ferramentas tecnológicas, as organizações têm mais facilidade para aumentar desde a qualidade dos produtos e serviços até a eficiência do atendimento, por exemplo.

Independentemente de qual é o seu segmento, certamente há diversas soluções e metodologias inovadoras que juntas contribuem para o aperfeiçoamento da rotina operacional e administrativa. Sendo assim, investir em inovação significa ter um diferencial competitivo capaz de conduzir a sua empresa rumo ao sucesso.

Como a inovação pode melhorar a satisfação do cliente e retê-lo?

A adoção de medidas inovadoras reflete diretamente no relacionamento da empresa com o cliente. Elas permitem ao empreendedor oferecer um produto de maior qualidade e um atendimento de excelência — fatores cruciais para atrair o público-alvo, retê-lo e mantê-lo satisfeito e fiel ao negócio.

Como já mencionamos, a tecnologia mudou drasticamente a maneira como consumimos, gerando novas demandas de serviço. As ferramentas associadas à inovação ajudam a identificar os hábitos e necessidades do consumidor, permitindo que você trabalhe para atendê-las.

De olho nessa mudança, as organizações atuais focam em atingir a sua clientela com o máximo de precisão possível, o que contribui para construir uma relação produtiva e de confiança. Quando aplicada nos processos de atendimento, a inovação pode, entre outras coisas, aumentar os canais de comunicação — por exemplo, com o uso de chatbots — para que o cliente entre em contato e consiga solucionar falhas de forma ágil e eficiente.

O desenvolvimento de sistemas de Gerenciamento de Relacionamento com o Cliente (CRM) também impacta positivamente a gestão da interação com o cliente, fazendo com que ocorra de modo mais organizado e confiável. Isso porque todas as informações sobre cada consumidor podem ser analisadas e utilizadas para promover melhorias contínuas no atendimento.

Quais são as melhores estratégias para alavancar as suas vendas?

Manter as suas vendas aquecidas é fundamental não só para a sobrevivência do negócio, mas também para aumentar os rendimentos. Quando se fala nesse assunto, há quem pense que isso só é viável com a redução do preço dos produtos. No entanto, com o conjunto certo de práticas também é possível vender mais. Veja, a seguir, as melhores estratégias para melhorar a performance na sua empresa.

Investir em softwares personalizados

O uso da tecnologia — em especial dos softwares personalizados, que atendem as necessidades específicas do seu empreendimento — é um grande aliado para converter mais vendas. A implementação dessas soluções elimina os processos manuais, informatizando todas as atividades operacionais e administrativas. Além disso, age na automatização de decisão para que o negócio possa responder rapidamente às demandas e eventuais erros.

Para criar um software personalizado, a companhia fornecedora faz um mapeamento de todos os seus processos e os associa a soluções que sejam capazes de melhorar o seu desempenho. As ferramentas personalizadas são extremamente valiosas para ter um controle melhor sobre o negócio e modernizar a área comercial, pois podem otimizar todos os departamentos, como estoque, contas a pagar e receber, técnicas de venda e monitoramento de metas.

Capacitar a equipe

O seu time de vendedores e demais colaboradores é parte fundamental do sucesso. Nesse sentido, é importante que todos estejam atualizados quanto às demandas do mercado, bem como sobre as tecnologias utilizadas para abordar e fidelizar o consumidor. Isso só é possível por meio da capacitação da equipe, que deve ir além da capacitação inicial, que acontece quando o funcionário é contratado.

É necessário qualificar e atualizar os seus colaboradores constantemente, além de aprimorar as suas técnicas e metodologias de vendas. A falta de conhecimento do time acarreta a perda de venda e, consequentemente, do cliente para a concorrência. Por outro lado, quando bem capacitados, os profissionais da empresa são capazes de apresentar o produto ou serviço de maneira atrativa e de prestar um atendimento que encanta o consumidor.

Gerar valor para os clientes

O mesmo produto ou serviço pode ser oferecido por diversas empresas. O que faz com que o cliente se torne fiel ao seu negócio é a forma você o trata. Um dos pilares do universo das vendas é gerar valor para os clientes, ou seja, fazer com que cada um se sinta único e especial quando procura por sua empresa.

Para tanto, é altamente indicado personalizar as suas soluções e abordagens, criando uma comunicação adequada ao perfil do cliente. Dentro do seu público consumidor você vai encontrar diferentes perfis. Recomenda-se segmentá-los e definir estratégias de vendas personalizadas para cada grupo. A sensação de exclusividade é um excelente estímulo para que o potencial consumidor tome a decisão de efetuar a compra.

Aposte nas estratégias upsell e cross-sell

Os dados se tornaram importantes ativos para todo e qualquer negócio, uma vez que ajudam no direcionamento de suas decisões e planejamentos. Ao inovar e trabalhar a partir da governança de dados, pode-se entender o cenário real da empresa e traçar ações mais efetivas.

Entre as principais estratégias que dão resultados para aumentar as vendas estão o upsell e o cross-sell. Com base nos dados e históricos dos clientes, no upsell, você faz a abordagem oferecendo uma versão superior do produto adquirido na última na compra. Já no cross-sell, o foco é apresentar uma solução complementar, que estimule fazer uma nova compra.

Melhore o relacionamento com o consumidor

Toda a empresa deve ter em mente que a relação com o consumidor não acaba após a finalização da compra. A manutenção de uma relação próxima e de qualidade com os clientes é a palavra-chave para ganhar a preferência e se destacar em meio à concorrência.

Um bom relacionamento com o consumidor exige uma estrutura de ponta, com ferramentas que permitam uma comunicação ágil. Além disso, é preciso contar com profissionais treinados para utilizar esses recursos e que estejam aptos a atender às demandas da clientela e solucionar problemas prontamente.

Estratégias de marketing, como e-mail marketing e uso de redes sociais, são muito bem-vindas para criar um vínculo forte com o cliente. Afinal, são ferramentas que possibilitam engajar o público no dia a dia, oferecer produtos e dar dicas valiosas para um melhor aproveitamento dos serviços ou produtos adquiridos.

Há diversas variáveis que contribuem para aumentar as vendas da sua empresa. Porém, investir na inovação dos seus processos é, sem dúvidas, uma medida vital para continuar sendo relevante no mercado. As novas tecnologias, como os softwares personalizados, automatizam as suas atividades, sem deixar de lado o toque humanizado que gera identificação, atrai e conquista os clientes.

Quer se antecipar às demandas do mercado? Veja como a análise de dados ajuda a moldar o futuro do seu negócio!


Quais são os segredos da retenção de cliente? Veja aqui!

O aumento da competitividade entre os mercados destaca a necessidade de desenvolver estratégias para a retenção de cliente junto à sua corporação. Tais ideias estão relacionadas ao alto custo de aquisição de novos clientes e à importância da fidelização para o desenvolvimento de uma base sólida do público.

Preservar os consumidores por mais tempo de relacionamento com sua firma permite proporcionar mais demanda e uma lucratividade maior do que sair em busca de uma nova audiência. Manter uma base sólida de clientes oferece grandes vantagens quanto aos lucros e estabilidade do seu negócio.

Se você também procura melhorar o faturamento por meio da retenção de clientes, continue a leitura e confira nossas dicas!

Por que adotar estratégias para reter clientes?

Você certamente já ouviu que reter os clientes que já foram conquistados pela corporação é mais barato do que encontrar novos, certo?

Não é necessário refletir muito para perceber que essa é uma afirmação verdadeira. Pense o quanto é preciso investir em publicidade e desenvolvimento de soluções para o seu público até convencer o cliente a realizar a primeira compra.

Com tantas marcas no mercado, você precisa de um belo trabalho de marketing para engajar o público e fazer com que as pessoas sintam a necessidade de consumo pelos itens que sua empresa oferece.

Por isso, é fundamental adotar estratégias de retenção, protegendo ao máximo todo o relacionamento construído com os clientes já fidelizados.

Por que é mais viável investir na retenção de clientes do que na captação?

Ter clientes é essencial para ter sucesso no negócio, mas é importante se atentar aos custos na captação e na retenção. Para captar um novo comprador, os gastos podem ser bem altos devido aos diferentes fatores associados ao processo.

Por exemplo, até conquistar o consumidor, será necessário investir por algum tempo, pois a jornada de compra costuma ser longa e o Custo de Aquisição do Cliente pode ajudar a entender mais sobre os dispêndios relacionados a isso.

Já com um consumidor que já faz parte de sua carteira, caso conte com um bom sistema de gestão, você já terá os dados dele, pode realizar a análise preditiva, o cliente já teve uma relação de compra com sua organização e se lhe foi oferecido uma boa experiência de compra, ele tende a trazer outros indivíduos para sua empresa. Portanto, investir em retenção pode ser mais interessante.

Quais são as melhores estratégias para reter clientes na empresa?

Para assegurar que o consumidor vai ficar satisfeito com o seu negócio, é necessário adotar algumas estratégias para oferecer um bom atendimento e garantir que a experiência do cliente seja encantadora. Veja a seguir quais medidas podem ajudar!

Garanta excelência no atendimento

Ter uma boa experiência enquanto está sendo atendido é um fator importante para que o consumidor volte a fazer negócio com uma empresa. Nada é mais desanimador do que ir a algum estabelecimento realizar compras e ter um atendimento ruim, não é mesmo?

Portanto, faça investimentos e utilize estratégias para otimizar seu suporte e garantir que o cliente saia satisfeito da sua organização. Nesse sentido, investir em treinamento para os colaboradores e ter boas soluções tecnológicas pode ser uma forma de agilizar o atendimento e encantar os clientes.

Invista em personalização

A personalização é um ótimo meio de se diferenciar da concorrência e oferecer um atendimento único ao cliente. Além disso, aumenta o nível de satisfação do consumidor com o seu negócio, assegurando que ele volte a realizar novas compras com sua empresa.

Assim, para garantir uma experiência personalizada, contar com informações sobre o consumidor (como o que ele costuma comprar, quais são as suas preferências e outros dados) pode ajudar nesse sentido.

Uma boa opção é investir em soluções tecnológicas que auxiliem a empresa a ter mais conhecimento sobre os clientes. É importante apenas se atentar à segurança desses sistemas e à adequação à LGPD, para evitar vazamentos.

Seja ágil na resolução de problemas

Já passou por situações problemáticas quando comprou de outras empresas e, no momento de solucioná-las, teve um atendimento demorado? Frustrante, não é mesmo? Por isso, é importante investir em soluções que possibilitem automação de decisões e proporcione rapidez na resolução de problemas.

Ao investir em sistemas que ajudam a ter mais agilidade e a oferecer uma experiência melhor ao consumidor, você atesta que existe qualidade no atendimento e, em caso de dificuldades, tudo é resolvido sem adversidades.

Utilize ferramentas para a retenção de clientes

Ter boas ferramentas e investir em tecnologia é essencial para conseguir compreender como o cliente está se sentindo ao fazer negócios com sua empresa e o que pode ser otimizado em sua estratégia de retenção de clientes.

Por meio de soluções adequadas, você consegue acompanhar métricas importantes para o negócio, ter à disposição informações que podem enriquecer a jornada do cliente e identificar potenciais erros nas estratégias, para definir o que fazer para corrigi-los.

Portanto, com o uso de boas estratégias, você consegue encantar os clientes de sua empresa, tornando-os defensores da marca, melhorando os índices de retenção e ainda atraindo outros compradores para o seu negócio.

Como a experiência pode ajudar na retenção de clientes?

Um dos fatores determinantes para o sucesso das estratégias de retenção é o investimento na experiência de compra do usuário. Seja no ambiente físico, organizando sua loja e oferecendo um espaço agradável, ou no meio digital, por meio de um site rápido e de fácil navegação, o bem-estar do público deve ser priorizado.

Outro ponto relevante se refere ao atendimento de qualidade. Nesse quesito, podemos destacar o treinamento da equipe como um fator-chave para melhorar a relação com o público. Por meio da capacitação, os seus colaboradores tornam-se atenciosos e o atendimento fica mais humanizado.

Viu como é importante adotar estratégias para melhorar a retenção de cliente? Além de ampliar sua rentabilidade, a adoção de uma postura voltada para o relacionamento com o público permite o desenvolvimento de soluções inovadoras que atendem as dores de sua audiência. Desse modo, seu negócio se torna ainda mais rentável e competitivo no mercado.

Curtiu nosso artigo? Então, assine agora mesmo a nossa newsletter e tenha conteúdos incríveis direto na sua caixa de e-mail!


Você sabe o que é a cultura de inovação? Veja como implementá-la

Aquela empresa que não inova está condenada a ficar para trás. Entender como funciona o mercado e o comportamento do seu público consumidor é imprescindível, mas só isso não basta para assegurar o sucesso do negócio. É necessário investir na cultura de inovação — condição que permite que a organização se diferencie e se sobressaia em relação à concorrência.

Evitar a estagnação é um dos maiores desafios de qualquer empreendedor, já que isso pode custar a sobrevivência do empreendimento. Independentemente de qual é a sua área de atuação, ter a capacidade de gerar novos negócios e se adaptar à digital transformation (transformação digital) são premissas básicas para continuar relevante para os seus clientes.

Neste post, vamos abordar tudo o que você precisa saber para implementar a cultura da inovação. Confira!

O que é a cultura de inovação?

A cultura da inovação é definida como uma nova maneira de trabalhar, que se preocupa em enxergar todos os processos internos e externos das empresas. Na prática, ela não se resume a ter novas e boas ideias, pois também diz respeito à capacidade da companhia de desenvolver e aplicar um pensamento inovador em todos os seus departamentos.

De modo simples, é preciso deixar claro que a cultura de inovação é composta por hábitos e padrões praticados pela empresa, tendo como finalidade promover a criatividade, gerar ideias diferenciadas e disseminar o conhecimento para que, assim, seja possível dar origem a novas metodologias, produtos e serviços que estimulem o crescimento do negócio.

Quando se fala em inovação, a maioria das pessoas logo pensa em apresentar algo novo e moderno. Embora esse entendimento não esteja errado, ser uma organização inovadora vai além disso, haja vista que esse ‘’algo novo’’ deve trazer ganhos e melhorias reais para o desempenho da empresa. Portanto, a cultura da inovação nada mais é do que fazer com que todo o seu time adote um pensamento inovador em todas as suas atividades, desde ações cotidianas até nos novos projetos, a fim de criar valor para o mercado e os clientes.

Qual é a importância da cultura de inovação?

Ao desenvolver a cultura da inovação, o seu negócio pode obter uma série de ganhos que impulsionam os resultados e prolongam a sua existência. Diariamente, o mercado passa por transformações que impactam o modo como as empresas funcionam. Nesse sentido, buscar a modernização é indispensável para que a companhia consiga adaptar-se às tendências da sua área e oferecer um serviço ou produto atualizado, condizente com as necessidades do seu público-alvo.

Desse modo, quando inova, a organização se mantém em sintonia com os seus consumidores, visto que os hábitos deles costumam mudar ao longo do tempo. É normal que o nível de exigência dos clientes aumente no decorrer dos anos. Logo, acompanhar essa demanda é crucial para ter plenas condições de supri-las — aspecto que contribui para atrair e fidelizar o público do seu interesse.

Além disso, a inovação também torna os seus processos mais ágeis, possibilitando a entrega de projetos com alta qualidade e eficiência. Assim, a empresa não só evita defasagem das suas atividades, como também permanece competitiva e amplia os seus rendimentos.

Como implementar a cultura de inovação na empresa?

Antes de qualquer coisa, para que realmente funcione, a cultura de inovação tem que ser integrada ao DNA da empresa. Isso quer dizer que o conceito deve ser colocado em prática desde os líderes até os colaboradores: todos devem estar cientes da importância de se diferenciar no mercado para seguir crescendo.

Uma exigência essencial para implementar a cultura de inovação é a capacidade de assumir riscos e não ter medo de errar. Afinal, para inovar é necessário testar processos novos e que, portanto, vão colocar o negócio em um cenário desconhecido. Outro ponto importante, que se refere principalmente aos gestores, é estar disposto a ouvir novas ideias, ainda que pareçam inusitadas, pois elas podem resultar em soluções incríveis.

Para tanto, há que se proporcionar um ambiente de trabalho aberto para a troca de ideias, que incentive todos os membros da sua equipe a desenvolver soluções para os problemas vivenciados na companhia. Investir em ferramentas e conhecimentos atualizados também é substancial para que a inovação possa ser colocada em prática.

Quais são as melhores dicas de como implementar a cultura de inovação?

A implementação da cultura de inovação não depende de uma ação isolada, uma vez que requer a aplicação de um conjunto de práticas que contribuem para que o negócio consiga conceber e concretizar ideias inovadoras e gerar valor para os seus clientes. Veja, a seguir, quais são as principais dicas implementar a cultura de inovação na sua empresa o quanto antes.

Use a tecnologia como aliada

Inovação e tecnologias andam lado a lado. Se você quer promover uma profunda modernização no seu negócio, a primeira coisa a ser fazer é conhecer e aproveitar melhor os avanços tecnológicos disponíveis no mercado. Isso porque eles ajudam a automatizar os seus processos, de maneira a otimizar o fluxo de trabalho e possibilitar entregas com um maior grau de qualidade e eficiência.

Nesse cenário, há alguns recursos que são grandes aliados para a sua rotina operacional, como aplicações web e mobile e infraestrutura em nuvem. O primeiro permite que você crie soluções personalizadas para as particularidades dos seus processos ou clientes. Já o segundo traz escalabilidade, segurança e alta disponibilidade para as suas operações e serviços.

Transformar ideias em projetos

Uma ideia inovadora por si só não vai trazer resultados. Cada ideia deve ser estudada para entender qual é o seu verdadeiro potencial de sucesso e posteriormente ser transformada em um projeto com um planejamento rígido para obter êxito na sua execução. Com isso, você evita apostar em propostas que não tragam melhorias efetivas para a companhia.

Incentivar a criatividade coletiva

Apoiar o intraempreendedorismo, ou seja, a iniciativa de encontrar oportunidades para empreender e inovar dentro da própria empresa, é uma prática fundamental para fortalecer a cultura da inovação na sua organização. É papel dos gestores dar apoio para que os colaboradores exerçam a sua criatividade e empreendam na sua rotina de atividades.

Ninguém inova sozinho, logo, é recomendado estimular as suas equipes a trabalhar em conjunto, para que troquem conhecimentos, opiniões e ideais sobre melhorias para o negócio. O incentivo dos líderes e o fornecimento de um ambiente favorável para a inovação faz com que o seu time desenvolva novos processos, produtos ou serviços.

Utilize metodologias ágeis

Por melhor que seja uma ideia, se não for executada corretamente, pode acabar não trazendo os resultados esperados. Para que isso não ocorra, é altamente recomendado utilizar metodologias ágeis, como Kanban e Scrum, para organizar as etapas da construção dos seus projetos.

Os métodos ágeis eliminam gargalos e otimizam os seus processos, além de alinhar os times com os objetivos do negócio e dos clientes. O excesso de burocracia é inimigo da inovação, pois a necessidade de realizar muitos processos acaba atrasando a entrega de uma inovação, o que pode diminuir a sua relevância quando for finalmente concretizada.

Se bem estabelecida e gerida, a cultura de inovação é capaz de elevar a sua empresa a novos patamares. Com ela, é possível se adiantar à tendência, bem como atrair e fidelizar o seu público consumidor oferecendo o que há de mais inovador no mercado. Por fim, vale ressaltar que a inovação depende da participação ativa dos seus colabores. Por isso, o ambiente de trabalho deve ser sinônimo de liberdade e, ainda, abrir espaço para uma postura questionadora e empreendedora.

E aí, gostou deste post? Siga o nosso perfil no LinkedIn e acompanhe mais conteúdos exclusivos!

 


Softwares personalizados X de prateleira: qual é a melhor opção?

A Transformação Digital — substituição de recursos manuais e analógicos por alternativas digitais — impactou profundamente o modo como as empresas operam. A partir dela, para se manter relevante no mercado, é imprescindível contar com processos mais ágeis e aumentar a sua produtividade. Nesse cenário, muitas empresas ficam na dúvida entre softwares personalizados e de prateleira na hora de digitalizar as suas operações.

Embora haja uma grande disponibilidade de softwares prontos disponíveis para as organizações, nem sempre eles atendem às suas necessidades com perfeição, o que afeta diretamente o alcance dos resultados.

Por isso, antes de adquirir esse tipo de produto, é fundamental entender quais são as diferenças entre os softwares personalizados e as ferramentas de prateleira. E é exatamente isso que vamos explicar neste post. Confira!

Por que a minha empresa precisa de um software?

As tecnologias e a digitalização das empresas fizeram com que os mercados se tornassem muito mais dinâmicos. Diante disso, os negócios que têm mais chances de sucesso são aqueles que conseguem oferecer produtos e serviços de alta qualidade em menor tempo. Os softwares são considerados grandes aliados nessa missão, uma vez que otimizam o fluxo de trabalho.

Essencialmente, um software é planejado e construído para suprir determinadas demandas. Sendo assim, essa ferramenta é indispensável desde para solucionar problemas até para potencializar a sua performance. Isso porque os softwares automatizam os processos e, consequentemente, eliminam erros humanos, de modo a trazer eficácia e consistência para as atividades.

Com a implementação de softwares na sua rotina operacional, você facilita a execução das suas operações, além de ter total controle sobre elas. Também é possível reduzir o tempo com as tarefas manuais e burocráticas, o que permite que a sua equipe tenha uma menor carga de trabalho e possa dedicar mais às questões estratégicas do negócio.

Quais são as diferenças entre um software personalizado e de prateleira?

A escolha dos tipos de softwares utilizados na sua empresa faz toda a diferença para alavancar o seu desempenho. Na atualidade, há dois tipos mais utilizados: o personalizado e o de prateleira. O primeiro é desenvolvido de acordo com as necessidades e demandas específicas da empresa. Já o segundo se baseia em soluções mais comuns para o mercado, podendo ser adquirido por qualquer organização interessada.

Os softwares personalizados funcionam de uma forma mais pontual. Por outro lado, os de prateleira são mais genéricos e generalistas, pois visam a contemplar as exigências de um número maior de usuários.

Ao adquirir um software personalizado, você pode escolher previamente todas as funcionalidades desejadas para o seu negócio, possibilitando uma customização ampla. Também pode haver a aplicação de iBPMS, que faz a gestão completa dos processos do seu empreendimento. Por sua vez, as soluções de prateleira são produzidas em massa e não oferecem o poder de escolha de funcionalidades aos contratantes.

Embora os softwares de prateleira sejam projetados pensando no máximo possível de falhas que podem acontecer no ambiente de trabalho, ainda assim podem ocorrer erros fora do previsto e que exponham as suas informações, principalmente quando a plataforma está na nuvem.

No decorrer do desenvolvimento de uma ferramenta personalizada, é viável inserir protocolos de segurança voltados para as peculiaridades do negócio, blindando-o contra falhas e ataques comuns na sua área de atuação.

 Quais são as vantagens de investir em um software personalizado?

A finalidade de um software é simplificar o ambiente de trabalho, porém, se ele não estiver de acordo com a realidade da sua empresa, pode acabar causando falhas que afetam a a produtividade. Assim, o software personalizado é a melhor opção para quem busca ferramentas intuitivas e capazes de alavancar o seu fluxo de trabalho. Entenda algumas das principais vantagens de investir em plataformas específicas para o seu negócio.

Atende às necessidades da empresa

A principal característica dos softwares personalizados é suprir as especificidades de cada organização. Para isso, cada detalhe da sua rotina operacional e processos são levados em conta na hora de construir a solução. Na prática, isso significa que a ferramenta tem mais flexibilidade para ser moldada de acordo com as carências da empresa.

Desse modo, a empresa tem acesso a um software que oferece tudo o que a sua atividade precisa, o que elimina a necessidade de investir em aplicações similares para atender a um mesmo processo, por exemplo. O resultado disso é economia para o seu bolso e muito mais praticidade para a execução das tarefas diárias.

Possibilita a integração com outros sistemas

Conforme vai crescendo, a empresa passa por diversas mudanças que impactam o seu modo de trabalho, sendo necessário se adaptar a elas para continuar atendendo à demanda dos clientes com o máximo de qualidade. Nesse contexto, os softwares personalizados também são mais vantajosos, pois possibilitam a integração com outros sistemas, de maneira a facilitar a adaptação de todo o ambiente e infraestrutura do empreendimento.

Há alguns softwares de prateleira que até permitem a integração com outros sistemas, mas isso acontece de forma limitada, ou seja, eles não suprem as suas necessidades por completo. Ao trabalhar com ferramentas que não disponibilizam a possibilidade de integração, você terá um ambiente de trabalho descentralizado e com uma gestão mais complexa.

Aumenta a eficiência do trabalho

O ganho de eficiência do trabalho é uma consequência natural da adoção do software personalizado. Uma vez que a solução é integrada a todas as tarefas realizadas pelo seu time de colaboradores, o gestor pode acompanhar em tempo real a evolução de todas as ações em andamento na empresa.

Sem falar que os processos manuais, considerados repetitivos e burocráticos, passam a ser automatizados, o que reduz consideravelmente as chances de erros e retrabalhos. Vale destacar que os softwares também geram uma enorme quantidade de dados, que contribuem para uma tomada de decisão mais rápida e efetiva.

Como você viu, os softwares personalizados se diferenciam dos softwares de prateleira desde as possibilidades de customização até as questões de segurança. Uma aplicação projetada para o seu ambiente operacional é uma grande aliada para o crescimento e sustentabilidade do seu negócio. Para tanto, você deve analisar as suas necessidades e, a partir daí, buscar uma empresa fornecedora que seja referência no assunto, que estude as suas peculiaridades e entregue uma solução que se encaixe perfeitamente aos seus objetivos.

Quer adquirir um software personalizado? Entre em contato com a Scala agora mesmo e obtenha uma aplicação única para o seu negócio!