Como uma plataforma de Analytics melhora os processos empresariais?

Uma empresa que não implementou uma plataforma Analytics na sua rotina deixará de aproveitar de um grande número de vantagens que contribuem para o crescimento da sua empresa. Essa tecnologia já se tornou padrão na rotina corporativa, sendo utilizada por administradores de organizações de variados ramos e portes.

Na prática, os gestores adotam uma tecnologia que aplica a análise de dados (Data Analytics) no campo prático. Porém, para garantir que o negócio aproveite das vantagens, é importante ler este conteúdo para conhecer exatamente o que é o Analytics, suas funções, como ele traz maior eficiência para os procedimentos corporativos, como fazer a escolha correta e os diferenciais do Scala Analytics!

O que é uma plataforma de Analytics?

Entenda que Analytics significa “análise” em português se trata de um campo de estudo que usa a estatística, matemática e outros campos para encontrar padrões de dados em estratégias. Uma plataforma de Analytics é uma tecnologia que tem como objetivo principal coletar informações relevantes ao negócio, estuda os dados e gera insights que serão úteis aos gestores.

Os dados coletados podem ser obtidos de métricas, pesquisas, feedbacks, entre outras fontes. Além disso, as operações de análise podem ser aplicadas em diferentes áreas da empresa, como na contabilidade, marketing, Recursos Humanos (RH), administração, entre outros.

Quais as funções?

De forma geral, há vários tipos de análises que realizadas pelas soluções de Analytics auxiliam na construção de uma jornada de dados com eficiência, precisão e praticidade para a empresa. Entenda quais são eles e suas respectivas funções:

  • descritiva: essa é uma atividade que sumariza os dados coletados pela solução. Seu objetivo é fazer com que os gestores vejam o que acontece na empresa em tempo real;
  • prescritiva: considerada a mais complexa, ela verifica as consequências das ações tomadas pela empresa;
  • preditiva: usa o Machine Learning e algoritmos para categorizar os dados, antecipar acontecimentos no mercado e fazer projeções para organizações.

Como traz eficiência para os processos empresariais?

Com a plataforma de Analytics você observará impactantes ganhos nos processos empresariais. Isso acontece porque os gestores terão uma visão mais ampla da empresa e tomarão decisões mais vantajosas de forma mais rápida.

Por exemplo, com a análise prescritiva você poderá verificar a eficiência dos procedimentos da empresa, identificar problemas e aplicar as correções necessárias, diminuindo custos e desperdícios — tanto de recursos como de tempo. Outro exemplo é a análise preditiva que você pode antecipar situações e se adaptar aos eventos futuros.

Apenas compilar os números não basta, é relevante atentar para algumas questões que você deve ter em mente ao analisar os dados apresentados pela plataforma.

Um dos cuidados necessários é conhecer muito bem sua empresa, assim você conseguirá entender como os dados transcrevem os acontecimentos reais na rotina da empresa. Outro cuidado é alinhar os líderes para um mesmo objetivo, que será aumento da eficiência corporativa, assim, eles utilizarão os dados em busca de resultados

Quais os seus benefícios?

A empresa aproveitará de muitos benefícios quando implementar uma plataforma de Analytics. Esses ganhos serão um grande diferencial para alavancar seu desenvolvimento. Nos tópicos seguintes, trouxemos alguns exemplos deles.

Torna o processo de tomada de decisão mais acertado

Data Analytics é uma ferramenta útil para descobrir lacunas, gerar insights e identificar oportunidades de mercado. Os gestores não tomarão mais decisões com base em suposições ou intuições, mas sim a partir de relatórios que usam dados concretos, reais e imparciais, o que significa que os relatórios serão mais transparentes.

Atua em diferentes contextos

Uma plataforma de Data Analytics tem várias finalidades e podem ser aplicadas em um grande número de contextos, como:

  • encontrar oportunidades de negócio, seja para encontrar melhores fornecedores ou atender novos públicos;
  • prever cenários futuros, identificando quais eventos são prováveis de ocorrerem;
  • traçar novos objetivos que poderão dar um novo rumo para o futuro do negócio;
  • conhecer o comportamento dos usuários, do público e dos clientes.

Traz mais segurança de dados

A análise de dados pode ser usada para encontrar falhas e vulnerabilidades da segurança da informação. Ao corrigi-las, você consegue minimizar as chances do sucesso de ciberataques, evitando que dados sejam roubados, vazados, perdidos, editados ou acessados por pessoas não autorizadas.

Potencializa a definição das estratégias

Seus planejamentos se tornarão mais completos e você conseguirá implantar uma cultura data driven, já que todas as informações que serão usadas para criá-lo serão reais. No entanto, uma boa plataforma também gera relatórios, gráficos e insights em tempo real, o que significa que você pode verificar se os resultados serão alcançados.

Como escolher a plataforma de Analytics ideal?

Há diversas plataformas de Analytics disponíveis no mercado, cada uma tem suas próprias características e nem todas poderão atender suas demandas, o que torna fundamental que você analise determinadas qualidades para ter a certeza de que você está adotando a ideal para sua empresa.

Também é necessário fazer algumas análises em relação ao fornecedor da tecnologia, assim, você saberá que está firmando uma parceria com uma empresa que preza pelo desenvolvimento da sua empresa.

Entre os principais critérios que devem ser considerados estão:

  • personalização: os projetos devem seguir um padrão, mas serem desenvolvidos e orientados para as necessidades específicas do seu negócio;
  • atendimento: entre em contato com a empresa que será contratada e para testar a qualidade do atendimento, o contato deve ser rápido, cordial e o atendente deve buscar solucionar as dúvidas no primeiro contato;
  • robustez da tecnologia: é importante que a tecnologia seja ampla, tenha diferentes módulos e funcionalidades;
  • experiência do parceiro: uma empresa com anos de mercado mostra que ela consegue agradar seus clientes a longo prazo;
  • especialidade: prefira um parceiro especialista em Analytics, bem como tecnologias de processos, integração e cloud.

Quais os diferenciais da Scala Analytics Platform?

A Scala é uma empresa com 32 anos de expertise no mercado que se destaca em todos os critérios listados anteriormente. Com o objetivo de maximizar os resultados de seus clientes, ela oferece a Scala Analytics Platform, que traz vários módulos que garantem alta performance, eficiência na estruturação de dados e o melhor custo-benefício. Confira-os:

  • Data Scraper: envolve diversos recursos, como monitoramento de preços de concorrentes, comparação de preços do mercado, acompanhamento de taxas e pagamentos, informações dos aplicativos, sites e mais;
  • Data Ingestion: diferentes formas que dados são coletados e manipulados para uso ou armazenamento;
  • Data Quality: mensura quão bem um conjunto de dados é adequado para servir um propósito específico, sendo usados critérios como integridade, consistência, pontualidade, precisão, validade, entre outros;
  • Data Store: é a forma que os dados são guardados, fazendo com que eles sejam acessados com velocidade e facilidade;
  • Reports: são relatórios, métricas, conclusões, análises e recomendações úteis para a empresa;
  • Business insights: fornece informações para solucionar desafios da empresa e tornar a gestão dos negócios mais estratégica.

Com uma boa plataforma Analytics, você conseguirá fazer com que o negócio sobreviva e se adapte ao mercado, mas também encontrará as melhores decisões — de forma ágil e acertada — para aperfeiçoar os processos empresariais da sua empresa.

Ainda há muitos recursos, funções e diferenciais da tecnologia oferecida pela Scala, por isso acesse e conheça já mais sobre a Scala Analytics Platform!


Tire agora suas principais dúvidas sobre segurança na nuvem

A preocupação com a segurança na nuvem nas áreas de Proteção de Dados e Segurança da Informação tem evoluído muito nos últimos tempos. A maior razão está principalmente ligada ao aumento da necessidade do uso desses serviços e de equipamentos tecnológicos — cada vez mais requisitados pelo mercado para um cumprimento satisfatório de suas funções.

Se você busca por melhores insights que possam ser aplicados nos seus negócios, saiba que está no lugar certo. Nosso objetivo com este conteúdo é ajudar você a esclarecer dúvidas muito comuns sobre segurança na nuvem, trazendo uma série de dicas que podem ajudar a sua empresa a obter sempre os melhores resultados.

Tenha certeza de que sua tomada de decisão será muito facilitada ao ter acesso a estas informações sobre o tema!

Segurança na nuvem: o que é e como funciona?

A segurança da informação é um assunto cada vez mais importante para as empresas em todo o mundo. E isso se deve ao aumento da dependência da tecnologia e ao crescimento dos riscos de segurança.

As empresas precisam proteger seus dados e sistemas de ataques e fraudes, além de assegurar a confidencialidade das informações que têm armazenadas. Logo, para garantir a segurança da informação, devem adotar algumas medidas, como:

  • criptografia;
  • uso de senhas;
  • proteção física dos dados;
  • limitação do acesso aos dados.

Além disso, é importante ter um plano de backup para garantir a recuperação de informações em caso de um incidente de segurança.

Contudo, quando esse tema é abordado em relação à computação em nuvem, temos algumas diferenças. Resumidamente, segurança na nuvem é um termo usado para descrever a proteção de dados e aplicações hospedadas em ambientes cloud.

Para garantir acesso e armazenamento seguro dos dados ali utilizados (e produzidos), precisamos incluir medidas de segurança físicas (controle de acesso local dos servidores), lógicas (uso de algoritmos de monitoramento e prevenção de ataques) e de processamento (utilização de hardwares seguros e atualizados) para proteger os dados e as aplicações.

Qual é a diferença entre segurança na nuvem e segurança em TI?

A segurança na nuvem se refere à proteção de dados e aplicações armazenados em serviços cloud, enquanto a segurança em TI se trata da proteção de dados e de aplicações, armazenados em servidores e redes internas.

Dessa forma, podemos dizer que a área de segurança em TI engloba, também, a segurança na nuvem. Para saber se você precisa se preocupar com a segurança em todo o setor de TI ou apenas de suas aplicações hospedadas em cloud, é necessário um conhecimento aprofundado da realidade desse setor na empresa em que atua.

Precisamos saber questões que envolvem o estado atual dos Data Centers e de bancos de dados, os dispositivos utilizados para acessar a rede, o provedor ISP e de cloud utilizados para as conexões, entre outras tarefas que envolvem um uso seguro de equipamentos e informações.

A depender do caso, a segurança dos dados na nuvem estará intimamente ligada aos cuidados tomados com todo o sistema de TI da empresa.

Confidencialidade das informações: como ela é garantida pelo provedor?

A confidencialidade é um dos temas principais que envolvem a área de segurança da informação, valendo também para serviços hospedados na nuvem.

A confidencialidade da conexão é um fator primordial e deve ser garantida pelo provedor cloud, sendo um princípio fundamental de seu serviço oferecido.

Todas as informações recebidas em seus servidores deverão ser tratadas como confidenciais e nunca poderão ser divulgadas a terceiros sem a prévia autorização do cliente — nesse caso, a nossa própria empresa, a contratante da hospedagem.

Será por meio de medidas de segurança físicas, lógicas e organizacionais que eles protegerão suas informações contra acesso não autorizado, uso indevido, modificação, divulgação ou ataques.

Como escolher um bom provedor de cloud? O que é mais importante?

Existem diversas questões a serem observadas antes de contratar um bom provedor de cloud. Alinhar os objetivos de ambos os negócios é uma atitude que poderá gerar uma maior segurança para sua empresa e mais tranquilidade aos seus colaboradores, parceiros e clientes.

Questões que envolvem a imagem da empresa diante do mercado e seu comportamento nos últimos anos é algo que deverá ser observado. Marcas há mais tempo na atuação poderão ser mais efetivas na resolução de seus problemas e atendimento de suas necessidades, devido à experiência de seu corpo colaborativo — conseguindo oferecer maior eficiência nos quesitos técnicos necessários.

Além disso, existem outros pontos que precisam ter atenção, que tangem a adequação do provedor à sua necessidade, tais como:

  • tempo de atividade (ou relatórios de uptime): precisamos saber quanto tempo o servidor ficará online — quanto mais próximo de 100%, melhor será a efetividade dos recursos;
  • políticas de governança adequadas: seu provedor precisa se preocupar com cada detalhe que envolva o servidor utilizado pela sua empresa. Então, cheque cada política de gestão adotada e desconfie daquelas que tiverem problemas para fornecer essas informações;
  • Service Level Agreement (Contrato de Nível de Serviço): também conhecido por SLA, é um recurso que podemos utilizar para definir qual provedor escolhemos para nossa empresa. Com ele, você poderá ter uma ideia clara do acordo estabelecido entre as companhias para a efetividade do serviço. Ali você poderá encontrar os prazos fixados para manutenção e demais detalhes do oferecimento do serviço.

A nuvem está protegida contra ataques DDoS?

De maneira resumida, um ataque DDoS é um ataque cibernético que usa uma rede de computadores para inundar um servidor com solicitações, tornando-o incapaz de responder a qualquer outra requisição.

Podemos dizer que os recursos hospedados em ambientes em nuvem estão, sim, protegidos contra esse tipo de ataque. Isso se dá por uma combinação de técnicas, incluindo detecção e prevenção baseada em host e na rede e bloqueio de solicitações mal-intencionadas.

As análises podem ser incorporadas a recursos como inteligência artificial e machine learning, automatizando o controle e deixando a hospedagem ainda mais segura.

O que fazer se a segurança falhar?

Primeiramente, não entrar em pânico é a melhor saída. Como vimos, com a preocupação com a segurança sendo levada a sério pelos gestores, será muito mais difícil qualquer interferência externa maliciosa. Mesmo assim, ainda há algum risco de invasão, e cuidados como backups devem mostrar sua importância nesses momentos.

O que podemos fazer é tentar evitar ao máximo qualquer falha possível na segurança de dados. Mesmo com um backup, se a invasão tinha por motivo o sequestro de dados, ter uma cópia se mostra inútil, por exemplo. Depois que formos invadidos, não poderemos retroceder.

Dessa maneira, a melhor solução é se reunir com os principais gestores envolvidos após o problema ter sido detectado, assim como os responsáveis pelo provedor de cloud. Será necessário que a equipe trabalhe em cooperação para que a brecha seja fechada e não se repita.

Por esse motivo, questões como uma cultura que preza pela segurança na nuvem é de extrema importância para assegurar seus dados.

E você, sabe como proteger ainda mais sua empresa e os recursos hospedados em nuvem utilizados por ela? Deixe aqui seu comentário — será um prazer imenso ter a sua participação em nosso blog!


Monitoring as a Service (MaaS): como se caracteriza esse modelo?

Os modelos de serviço “as a Service” têm tornado as empresas de diferentes portes e segmentos mais otimizadas, eficientes, seguras e econômicas. Uma abordagem que ajuda as empresas a conquistarem esses benefícios é o Monitoring as a Service (MaaS), tendência que vem se tornando cada vez mais popular no mundo corporativo.

Aproveitar desta tecnologia é crucial para se manter relevante no mercado que está se tornando cada vez mais competitivo. Quer saber por quê? Leia este material em que explicamos seu conceito, surgimento, funcionamento, objetivos, importância e mais!

O que é Monitoring as a Service (MaaS)?

Monitoring as a Service — MaaS ou Monitoramento como Serviço, em português — consiste na implementação de serviços nuvem que possibilitam monitorar plataformas, servidores, sites, infraestrutura de TI e outros ativos da área. Com isso, o gestor expande seu controle sobre a empresa, podendo identificar por um único ambiente todos os acessos, as atividades que são realizadas, performance, erros etc.

Como surgiu o modelo MaaS?

Primeiro, é interessante entender como surgiram os serviços “as a Service”, uma forma de comercialização e distribuição de softwares que data desde os anos 1960. Nessa década, havia um sistema de terminais que eram conectados por uma rede a um mainframe que agregava todos os aplicativos e dados.

Com a criação e popularização do cloud computing (computação em nuvem), as empresas passaram a distribuir plataformas e soluções pela internet, fazendo com que seus clientes pudessem acessá-las pela internet. Vários serviços foram disponibilizados dessa forma sob o nome XaaS (Tudo como um Serviço), como Software as a Service (SaaS), Platform as a Service (PaaS), Infraestructure as a Service (IaaS), Monitoring as a Service (MaaS) e outros.

Como funciona?

Na prática, é firmada uma parceria com uma empresa que implementa aplicação de monitoramento online na empresa. O MaaS é disponibilizado pela internet e por meio de uma assinatura que pode ser mensal, semestral, anual ou outro prazo.

Isso significa que é preciso instalar um software em cada computador da empresa, além de ser necessário se preocupar com atualizações ou manutenções, essas atividades também ficam a cargo da provedora contratada.

Quais os seus objetivos?

O MaaS é utilizado especialmente para fornecer o monitoramento de recursos para infraestruturas de TI com base na nuvem. Mas ele pode ser implementado para cumprir vários objetivos, como:

  • monitoramento de ponta a ponta: acompanhe as atividades e a performance de TI hospedados na infraestrutura nuvem;
  • manutenção do desempenho: pode ter a finalidade de garantir o desempenho adequado para a infraestrutura de TI;
  • detecção de problemas: ajudar o administrar a identifica entraves, gargalos e outros problemas que prejudicam o desempenho da infraestrutura de nuvem.

Por que o Monitoring as a Service (MaaS) é importante?

Empresas que investem no MaaS usufruem de vários benefícios que refletem positivamente em sua produtividade, nos resultados e na competitividade de mercado.

Ao ampliar o controle sobre os softwares e hardwares do negócio, é possível garantir ou aumentar a produtividade. Imagine que um computador ou outro dispositivo não esteja funcionando adequadamente, a ferramenta de monitoramento detectará o problema e notificará o gestor imediatamente, permitindo que você solucione a questão rapidamente.

Outra vantagem consiste na prevenção de erros e acidentes. Por exemplo, se ocorrer um incidente que prejudicará o desempenho do negócio, ele também será identificado e corrigido agilmente. Isso poderia levar horas caso você não tenha um sistema de monitoramento, fazendo com que sua empresa perca várias horas de trabalho.

Isso se desdobra em vários outros benefícios que contribuem para o desenvolvimento da empresa, como:

  • ganho operacional: os colaboradores gastarão menos tentando buscar ou resolver problemas e poderão se dedicar a outras tarefas que agregam mais valor à empresa;
  • disponibilidade: o sistema, redes, sites e aplicações da empresa terão mais tempo de disponibilidade;
  • segurança: você também consegue verificar caso ocorra alguma atividade suspeita no negócio, como um acesso indevido, podendo tomar a contramedida antes que danos sejam tomados no negócio;
  • mobilidade: é possível utilizar o software disponibilizado em qualquer hora ou lugar, bastando acesso à internet e um dispositivo eletrônico (como desktop) ou móvel (como smartphone e tablet);
  • performance: com as informações obtidas do MaaS, você poderá alocar os recursos onde são efetivos;
  • experiência dos clientes: ao reduzir ocorrência de problemas e resolvê-las mais rapidamente, há menos chances de que o cliente se depare com serviços ou uma plataforma fora do ar, defeituosa ou lenta para carregar.

Como é a parceria entre a Stefanini e Dynatrace?

No ano de 2018, a parceria firmada entre a Scala e Dynatrace foi premiada no Partner Summit Latam Dynatrace em Cartagena, na Colômbia, sendo que dois líderes da empresa subiram nos palcos para receber os prêmios.

Essa parceria consistiu na oferta de soluções que combinam observabilidade e monitoramento no modelo MaaS. O sistema trouxe um acompanhamento em tempo real, de alto nível e precisão do comportamento de usuários em vários canais.

A Scala MaaS é ampla e engloba um apoio à otimização do monitoramento para sempre atuar de forma alinhada à necessidade do ambiente atendido e seus objetivos estratégicos. Na prática, isso é conquistado ao aplicar três níveis de atuação:

  • governança: são criadas estratégias com base em uma agenda evolutiva acompanhada de objetivos e indicadores;
  • transformação e inovação: é feita uma atuação de forma cooperativa sobre o roadmap estratégico, trazendo mais inovação e transformação aos modelos de monitoramento;
  • operação: todo seu time poderá se concentrar mais na atividade principal, tendo o apoio necessário para entender melhor eventuais problemas e situações de crise.

Como o modelo MaaS pode ser adotado?

Para adotar um serviço de MaaS e aproveitar de seus benefícios, basta contar com o suporte de uma empresa especializada na área, que estudará minuciosamente as características do seu negócio e implementará as tecnologias mais vantajosas para que monitoramento se encaixe na empresa.

No entanto, é importante escolher uma plataforma que objetiva simplificar a linguagem entre as áreas, que ajude na sua tomada de decisões com painéis de indicadores otimizados para cada equipe do seu negócio, além de permitir que o time de negócios decida com base em experiência real dos seus clientes.

Será necessário encontrar uma empresa com ampla experiência na área, que tenha uma cultura de gestão e controle, faça o planejamento, gestão e execução conforme boas práticas de administração e objetive gerar valor ao seu negócio.

Apesar de o MaaS ser bastante útil e vantajoso ao negócio, é importante ter uma boa empresa ao seu lado durante a implantação dessa tecnologia, como a Scala, que tem 32 anos de mercado, é especializada em tecnologias com foco em processos, integração, analytics, inteligência artificial e nuvem, bem como tem todas as qualidades explicadas neste conteúdo.

Conheça mais sobre o MaaS oferecido pela Scala e como esse serviço poderá ajudá-lo no desenvolvimento da sua empresa!


5 principais razões para utilizar a Infraestrutura como Serviço (IaaS)

Nos últimos tempos, o processo de transformação digital nas empresas se tornou algo inevitável. A computação em nuvem é uma das tecnologias mais atraentes para aqueles que visam superar a concorrência em um mercado tão competitivo quanto o atual. Logo, usar Infraestrutura como Serviço (IaaS) acaba sendo uma excelente opção.

Neste conteúdo, abordaremos os principais aspectos dessa tecnologia e as questões mais importantes que envolvem a adoção desses recursos em nossas empresas. Nele, você vai conferir os principais aspectos que envolvem esse recurso e 5 razões que escolhemos e temos a certeza de que você precisa saber para implementar o IaaS em seus negócios com sucesso!

IaaS: o que é e para que ela serve?

Chamamos por Infraestrutura como Serviço um modelo de computação na nuvem que fornece acesso a uma infraestrutura de TI, incluindo servidores, armazenamento, redes e aplicações, por meio de uma rede ligada à internet.

Nesse modelo, a empresa contratante paga apenas pelo uso efetivo da infraestrutura, eliminando a necessidade de investimentos iniciais, como equipamentos de hardware e recursos humanos especializados.

O IaaS é ideal para empresas que necessitam de infraestrutura na execução de seus negócios, mas não possuem, ainda, os recursos internos para isso. Além disso, o modelo permite que as empresas escalem o uso da infraestrutura de acordo com suas necessidades, reduzindo os custos com a área de TI da empresa.

Paas e SaaS: qual é a relação entre elas com a IaaS?

Platform as a Service (PaaS) é um dos principais modelos de computação em nuvem, capaz de garantir o fornecimento de uma plataforma para desenvolvimento, execução e gerenciamento das mais variadas aplicações em uma empresa. O provedor garante acesso às interfaces dos equipamentos de maneira remota.

Já o Software as a Service (SaaS) é outro modelo de computação em nuvem, mas que fornece acesso a aplicações executadas em nuvens públicas, em vez de apenas uma infraestrutura. Os usuários desse modelo podem acessar as aplicações por meio de um navegador ou de um dispositivo móvel — é, basicamente, um software com todas as suas funcionalidades operando em nuvem, para uso interno na empresa.

É visível, portanto, as diferenças entre cada um desses modelos de cloud:

  • IaaS é toda uma infraestrutura para armazenar e processar seus dados e aplicações;
  • PaaS é uma plataforma que usa interfaces para a comunicação e processamento — software e hardware;
  • SaaS é um software que opera em um contexto específico em uma empresa.

O que decide a escolha entre elas é o peso das necessidades atuais de seu negócio. Então, vale muito a pena fazer uma pesquisa aprofundada sobre a realidade de seu setor de TI e a viabilidade de aplicação de cada uma dessas tecnologias em sua empresa.

Os principais motivos para utilizar a Infraestrutura como Serviço: o que a nuvem pode oferecer?

A Scala tem uma parceria firmada com a Red Hat, uma empresa mundialmente reconhecida em inovação open source para TI. Com ela, possibilitamos que nossos clientes contem com o acesso a tecnologias confiáveis e do mais alto desempenho em cloud, em boa parte dos âmbitos do desenvolvimento, armazenamento, virtualização de recursos e de aplicações.

A Red Hat Cloud Infrastructure permite a criação e o gerenciamento de uma cloud IaaS, a qual é aplicada por nossa empresa. Com uso dos recursos mais confiáveis que temos acesso, podemos tirar muitas vantagens ao implantar uma Infraestrutura como Serviço em nossa companhia.

Abaixo, veremos 5 delas, que acreditamos serem as principais para a atenção daqueles que desejam aplicar essa solução. Confira!

1. Dá maior mobilidade para seus parceiros e colaboradores

O oferecimento de infraestrutura como serviço permite que seus parceiros e colaboradores tenham maior mobilidade. Com o acesso à nuvem, eles podem acessar os dados e aplicativos de qualquer dispositivo — e em qualquer lugar. Isso significa que podem trabalhar tanto remotamente quanto localmente, ajudando a sua empresa no aumento da produtividade.

2. Confere escalabilidade para os negócios

A escalabilidade é uma das principais vantagens de se utilizar IaaS nas empresas como modelo de computação em nuvem. Com essa solução, é possível aumentar ou diminuir a capacidade de processamento, armazenamento e da rede — de acordo com a necessidade atual da empresa naquele momento. Dessa forma, é possível evitar gastos desnecessários e aproveitar melhor todos os recursos.

3. Melhora a segurança dos seus dados

A utilização de uma Infraestrutura como Serviço pode ajudar a melhorar a segurança de seus dados. Com IaaS, você poderá contratar uma empresa especializada em fornecer a infraestrutura requerida para armazenar e proteger seus dados de maneira efetiva. Dessa forma, você não precisa se preocupar com a segurança da infraestrutura física e pode focar na proteção digital de seus dados e cultura de cibersegurança na empresa.

4. Não necessita de altos investimentos em hardware

Ao adotar a Infraestrutura como Serviço, você não precisa investir em hardware, reduzindo os custos operacionais. Além disso, pode contar com a expertise da empresa provedora para garantir a segurança e a performance adequada às suas necessidades quando utilizar a infraestrutura.

5. Aumenta a agilidade de sua equipe de TI

Certamente, esse é um ótimo motivo para implementar o IaaS em sua empresa. Além de reduzir os custos de operação, o recurso aumenta a produtividade e melhora a capacidade de resposta aos requisitos de negócios. Com uma infraestrutura altamente escalável e flexível, você pode, rapidamente, provisionar recursos adicionais quando necessário e reduzir os custos de operação.

A Infraestrutura como Serviço pode ajudar muito as empresas a se adequarem às novas necessidades de conexão instantânea, mobilidade e segurança requeridas pelo mercado moderno. E, até aqui, você nos acompanhou por uma exploração dos principais elementos dessa tecnologia e seus detalhes.

A Infraestrutura como serviço é, inegavelmente, um aspecto extremamente valioso para prestarmos atenção, devido à sua facilidade de implementação e economia de recursos gerada durante sua utilização. É certo que sua aplicação em empresas de todos os modelos e sua utilidade ficará por ainda muito tempo no mundo dos negócios e nos mais diversos tipos de aplicação.

Se você tem outra vantagem muito importante que a IaaS pode trazer às empresas e que não abordamos aqui, não deixe de compartilhar suas ideias conosco: deixe seu comentário!


Trabalho humano: veja como se deu a sua evolução ao longo dos anos

Quando olhamos para trás, não é nada difícil perceber que o trabalho humano se transformou bastante com o passar dos séculos. A relação das pessoas com seus ofícios evolui de acordo com as mudanças culturais e tecnológicas que passam a fazer parte das suas vidas.

Por exemplo, recentemente a sociedade viu o trabalho remoto ganhar mais destaque devido à pandemia de Covid-19, que tornou urgente o distanciamento social. Observar como essas transformações acontecem ao longo da história permite entender não só o passado, mas especialmente o contexto atual e o que é possível esperar do futuro.

Em vista disso, preparamos este post para trazer até você um panorama da evolução do trabalho humano com o decorrer dos anos. Quer conhecer mais sobre o assunto e entender como a mão de obra humana se encaixa na era da hiperautomação? É só prosseguir com a leitura!

Trabalho na pré-história

A maneira como o ser humano encara o ato de trabalhar mudou bastante com o tempo. Na pré-história, o trabalho era uma questão de sobrevivência. Caçar animais e coletar frutos era como os indivíduos retiravam seu sustento da natureza. Mesmo quando se tornaram agricultores, deixando a vida nômade para trás, o objetivo do trabalho era essencialmente suprir as necessidades mais básicas para sobreviver.

Valorização do ócio criativo

Na Antiguidade, o trabalho humano não era algo visto de forma positiva pelos grandes pensadores gregos e romanos. Isso porque aqueles que precisavam trabalhar ocupavam posições inferiores na sociedade, enquanto o grupo mais abastado — que vivia do trabalho de escravos — tinha tempo livre de sobra para se dedicar às reflexões políticas e filosóficas.

Trabalho humano versus festas

A forma como a elite encarava o trabalho não mudou muito na Idade Média, tanto que esse tipo de atividade continuou sendo menosprezado. Os servos se dedicavam ao trabalho árduo no campo para garantir sustento, moradia e proteção dos donos de terras. Já a nobreza da sociedade feudal desfrutava de diversas atividades de lazer, como torneios, caças de animais selvagens e festas nos castelos.

Ordem divina

No século XVI, o monge alemão Martinho Lutero, uma das principais figuras da Reforma Protestante, difundiu a ideia de que o ócio é um pecado e que o homem nasce para trabalhar. Para ele, quem executa um trabalho foi escolhido por Deus para isso. O trabalho humano seria, portanto, um serviço divino.

Operação das máquinas

Com a revolução industrial no século XVIII, muitos trabalhadores saíram do campo para trabalhar nas fábricas que ficavam nas cidades. Vivendo em condições precárias e em posição de subordinação, essas pessoas se tornavam mão de obra barata para os empresários e cumpriam exaustivas jornadas de até 18 horas por dia, o que muitas vezes resultava em acidentes e até mesmo mortes por exaustão.

Proletariado

A era industrial foi marcada por grandes avanços tecnológicos e pelo surgimento do proletariado, a classe social formada pelos trabalhadores assalariados cuja força de trabalho era explorada pela burguesia industrial. No século XIX, teve início o movimento operário, com esse grupo se organizando para reivindicar melhores condições de trabalho e direitos trabalhistas.

Linha de montagem

No início do século XX, Henry Ford otimizou os processos em sua indústria automobilística por meio de uma linha de montagem, reduzindo o tempo de produção e, consequentemente, seu custo. Nesse modelo de produção, os operários ficam parados em seus postos de trabalho, limitando-se a executar atividades repetitivas.

Barateamento da produção

A conquista de direitos trabalhistas e remunerações mais justas para a classe operária nos países desenvolvidos fez com que muitas empresas passassem a buscar mão de obra mais barata em outros lugares ao longo do século XX. Com isso, elas transferiram a produção para países mais pobres, onde a população ainda lida com condições precárias e salários baixos.

Automação industrial

Os avanços tecnológicos no âmbito industrial permitem utilizar máquinas para automatizar a execução de processos com menores chances de erros e maior redução de custos. Isso reduz a participação humana em linhas de montagem, eliminando também os riscos que os trabalhadores correm nessas atividades.

Uso de robôs

Em pleno século XXI, o uso de robôs já vai muito além das indústrias, chegando inclusive ao mundo digital. Tanta automação de processos tem tornado a discussão sobre a possibilidade de os robôs substituírem o trabalho humano cada vez mais acalorada.

Criação de áreas de trabalho

A transformação digital nas empresas tem proporcionado o surgimento de novas áreas de trabalho humano que até alguns anos atrás seriam impossíveis de imaginar. Gestor de mídias sociais, cientista de dados, desenvolvedor de software e designer de produto são apenas alguns exemplos de profissões criadas em um passado ainda muito recente.

Trabalho híbrido

O trabalho remoto já vinha ganhando espaço na sociedade e foi impulsionado pela pandemia iniciada em 2020. Isso fez com que muitos profissionais que ainda não o adotavam descobrissem os benefícios desse formato e, mesmo com a volta do trabalho presencial, preferissem seguir com um modelo de trabalho híbrido.

Com todas essas evoluções tecnológicas acontecendo em um ritmo tão intenso, é natural se questionar se o trabalho humano vai se tornar cada vez mais dispensável, quem sabe até mesmo a ponto de acabar em certos setores. Como você pode notar, no entanto, o fator humano e a tecnologia sempre caminharam juntos ao longo dos anos e na era da hiperautomação isso não é diferente.

Enquanto a hiperautomação substitui o trabalho humano em determinados processos, as pessoas seguem absolutamente necessárias em outras atividades. Não há por que imaginar um cenário de disputa por espaço, mas de transformação — de modo similar ao que vem ocorrendo desde que começamos a nos organizar em sociedade.

A cultura de inovação nas empresas tem o importante papel de transformar desde os processos internos até a experiência do cliente, entregando produtos e serviços capazes de atender às suas demandas. Nesse cenário, o trabalho humano é um elemento que caminha lado a lado com os avanços tecnológicos, continuando a evoluir e a se adaptar à sua própria maneira.

Achou interessante como o trabalho humano evoluiu ao longo da história? Compartilhe este post nas suas redes sociais e divida esse conhecimento com os seus amigos!


O que são squads e quais as vantagens de implementar essa estrutura?

Você está com dificuldades de criar um ambiente colaborativo e aumentar a eficiência dos processos internos da sua empresa? Com o uso dos squads, é possível solucionar esse problema e manter o seu negócio na liderança do setor. Além disso, você pode alcançar mais vendas, otimizando os resultados.

Se deseja aprender mais sobre o que é squad, vale a pena continuar a leitura deste artigo. Ao decorrer dele, vamos apresentar o conceito de squad de serviços, quais são as principais vantagens e alguns passos para implementá-lo. O conteúdo está imperdível! Confira mais a seguir.

O que é squad de serviços?

O squad nada mais é do que um modelo que você pode adotar em sua organização para separar os colaboradores em pequenos grupos interdisciplinares entre 4 e 10 pessoas para efetuar determinadas tarefas e alcançar objetivos traçados.

Por exemplo, é possível montar um grupo com funcionários da área de marketing, outro de vendas, do financeiro e do setor de tecnologia da informação. Com a equipe formada, você determina uma tarefa para eles e proporciona autonomia para tomarem decisões e resolver tal questão.

Assim, é plausível contar com diferentes visões de setores distintos da empresa para conquistar os objetivos. Essa prática é muito comum nas startups e gera várias vantagens para sua instituição. Por isso, vale a pena saber utilizá-la.

Quais os benefícios dos squads de serviços?

Os squads permitem que as empresas alcancem um novo patamar de produtividade em suas tarefas. Além disso, há diversos benefícios diretos e indiretos da aplicação. Confira!

Agilidade

Os membros de um squad contam com uma comunicação clara e eficiente, o que favorece a troca de informações e a realização de tarefas. Como esse formato também valoriza a autonomia dos profissionais, o processo de tomada de decisão se torna bastante ágil, pois não é preciso passar por diversos níveis de hierarquia para levar a uma posição definitiva.

Produtividade

De modo geral, os squads apresentam resultados mais satisfatórios do que os times que trabalham no modelo tradicional. A autonomia do grupo e a comunicação também levam a resolução de questões de maneira mais rápida.

Outro aspecto que leva à criação de um time eficiente se refere à composição do grupo. Como os squads são criados com profissionais dotados de diferentes habilidades, há complementaridade nas ideias e visões distintas sobre os problemas que aparecem e suas possíveis soluções.

Autonomia

Essa é uma das principais características dessa metodologia. Isso significa que cada squad é responsável pelos desafios do projeto e por desenvolver soluções para o negócio. Esse grau de responsabilidade permite que os colaboradores cresçam intelectualmente. No longo prazo, aumenta a noção de pertencimento ao projeto, afetando também a retenção de talentos no time.

Alinhamento

Como esse modelo privilegia a interação e o debate entre os membros, torna-se mais fácil alinhar as expectativas de cada um quanto ao projeto. Desse modo, cada indivíduo pode oferecer um ponto de vista que traz valor para a discussão. Desse modo, todos alinham o planejamento quanto aos próximos passos do trabalho e nenhum membro se sente perdido em meio ao fluxo de tarefas que devem ser cumpridas.

Integração entre os setores

Dado que a formação desses times é multidisciplinar, membros de setores totalmente diferentes podem interagir, trocar ideias e apontar sugestões sobre quais as melhores abordagens para concluir o objetivo. Ao adotar o formato de squads, a empresa otimiza a integração entre os setores e permite que indivíduos com perfis diferentes trabalhem e evoluam juntos.

Economia

Com a aplicação dessa metodologia no ambiente organizacional de sua empresa, você reduz custos e economiza recursos para investir em atividades estratégicas. Isso porque vai contar com profissionais especializados em setores distintos com capacidade para encontrar soluções inteligentes para os problemas.

Além disso, com a maior interação gerada entre diferentes setores e com o aumento da produtividade, é possível empregar menos recursos financeiros de modo a otimizar os resultados da empresa.

Otimização de tempo

Com a visão de pessoas com distintas capacitações, fica mais simples encontrar uma forma de resolver os problemas. Assim, as demandas que surgem na empresa são resolvidas conforme chegam.

Dessa maneira, seus colaboradores terão mais tempo para pensar em soluções que ajudem no crescimento e na sustentabilidade a longo prazo, o que melhora os resultados e alcança uma fatia maior do seu nicho de atuação.

Como montar um squad de serviços?

Se você quer montar um squad de serviços em sua empresa, existem alguns passos que vão ajudar bastante. Confira quais são eles a seguir!

Conheça sua equipe

A primeira etapa para obter sucesso com um squad de serviços em sua empresa é conhecer os colaboradores. Assim, é viável estabelecer grupos com habilidades complementares. Dessa maneira, você melhora os resultados e alcança soluções inteligentes para resolver as demandas dos clientes.

Tenha objetivos claros

Para conquistar bons resultados, sua instituição deve ter em mente o que deseja atingir. Isso também vale para montar o squad de serviços. Por exemplo, se você tem uma atividade que precisa ser resolvida, é relevante entender quais são as metas que estão envolvidas.

Desse modo, você forma grupos com a aptidão necessária para alcançar o objetivo de forma rápida e produtiva. Com isso, as chances de ter sucesso e conquistar lucros expressivos são significativamente mais altas.

Use metodologias ágeis

Usar metodologias ágeis auxilia na identificação de gargalos e na hora de mensurar os resultados alcançados. Dessa forma, você otimiza o andamento das tarefas, entende o que está dando certo e quais pontos precisam de ajustes, além de garantir o bom funcionamento das equipes.

Viu só como a estrutura de squads é um formato muito importante para tornar seu negócio ainda mais competitivo? Por meio desse modelo, é possível ajustar diversos aspectos do trabalho em equipe e melhorar o clima organizacional. Assim, você desenvolve novas soluções, aumenta a eficiência do grupo e ainda retém os principais talentos do seu time.

Que tal contar com o nosso esquadrão de especialistas para trabalhar por sua corporação? Entre em contato com a gente agora mesmo e confira de que forma a Scala contribui para que o seu projeto dê resultados cada vez melhores!


Já ouviu falar em hiperautomação? Conheça seus 6 benefícios!

Se você está procurando soluções para melhorar a eficiência dos processos internos do negócio, investir em hiperautomação é uma excelente saída. Ela é uma das tendências listadas no Gartner para os próximos anos e pode ajudar a garantir a aplicação da transformação digital de um modo rentável em seu negócio.

Por meio dela, você consegue obter diversos benefícios e otimizar os lucros da empresa. Além disso, é plausível utilizar a tecnologia para se diferenciar dos concorrentes e se destacar no mercado. Se você quer saber mais sobre a hiperautomação e suas vantagens, vale a pena continuar a leitura e conferir este conteúdo por inteiro.

O que é a hiperautomação?

Se você quer ter uma abordagem com potencial para ajudar a sua instituição a automatizar de modo ágil a maioria dos processos da empresa, a hiperautomação é a melhor alternativa. Por meio dela, você consegue alcançar escalabilidade, operação remota e transformação no modelo de negócios atual para um mais eficiente. 

De forma resumida, esta metodologia consegue combinar diversas ferramentas avançadas na intenção de garantir melhor andamento dos procedimentos internos de seu negócio. Assim, você consegue aumentar suas vendas e maximizar as receitas da empresa.

Ao contrário da automação, essa opção não depende da tomada de decisão de indivíduos e de regras. Ela compreende as condições, detecta os desafios e identifica as oportunidades para aperfeiçoar os processos da organização de forma autônoma. Dessa maneira, se você deseja incorporar uma cultura de inovação em seu negócio é importante investir nesse conceito.

Quais são os benefícios da hiperautomação?

Viu como a hiperautomação é importante para melhorar o desempenho de empresas em qualquer segmento de mercado? Então siga com a leitura e descubra quais as principais vantagens que você deve esperar desse tipo de recurso. 

1. Aumento da produtividade

O benefício que se destaca se refere ao aumento da produtividade. Isso se torna ainda mais claro quando você pensa em máquinas que resolvem problemas em tempo integral.

Imagine, por exemplo, um chatbot. Ele consegue transmitir informações e realizar diversos atendimento em qualquer dia ou horário. Isso representa um grande aumento de produtividade frente a todo tipo de suporte feito pelos colaboradores. 

Assim, você consegue terceirizar para a tecnologia questões simples e diretas e repassar para a equipe apenas problemas que são complexos e demandam mais etapas para serem resolvidos.

2. Escalabilidade

Muitas corporações são extremamente eficientes e desenvolvem produtos de qualidade enquanto pequenas, mas quando começam a crescer, perdem em atendimento, diferencial do produto, eficiência de prazos e outras adversidades.

No momento que isso ocorre, normalmente há problemas no processo de ganho de escala. Uma das maneiras de remediar obstáculos dessa natureza é por meio da hiperautomação que reduz a pressão sobre o time da empresa e consegue automatizar diversos processos e etapas de atendimento.

Desse modo, a organização tem potencial para atender um público maior e ainda preserva características importantes relacionadas a sua eficiência e comprometimento. Recursos como Big Data e Inteligência Artificial (IA) podem ser grandes aliados durante o processo de expansão de um negócio, trazendo novas vantagens e preservando características positivas da corporação.

3. Análise de cenários com dados

A análise de dados está diretamente ligada à inteligência nos negócios. Como os mercados se tornam cada vez mais competitivos, há uma tolerância menor aos erros, principalmente relacionados com a criação de produtos e serviços para o atendimento da demanda. Por isso, trazer informações para a tomada de decisão é uma necessidade.

Quando se trata do público, utilizar os dados coletados com os clientes para traçar um perfil ideal, realizar estimativas de demanda e desenvolver melhores soluções para a audiência, permite que a corporação se mantenha competitiva e forte.

Além disso, a criação de cenários que oferecem certa previsibilidade sobre receitas e despesas é fundamental para um bom planejamento estratégico. Entretanto, análises com tal grau de complexidade só pode ser implementadas com recursos tecnológicos adequados como Machine Learning, Big Data e IA.

4. Projeção para o futuro

Todos os setores sofreram transformações por conta do surgimento de tecnologias, softwares e do acesso que a internet oferece. Negar essa realidade representa um grande risco para a corporação e ameaça o seu pleno desenvolvimento.

Por isso, vale se adiantar e começar mais cedo a projeção do negócio para o futuro. Se uma empresa começa a coletar dados dos clientes apenas um ano depois de suas concorrentes, por exemplo, ela demora para conseguir usar as informações de maneira estratégica, como as outras corporações já estão implementando.

Em breve, os recursos digitais serão parte da rotina de todos, assim como os celulares e smartphones são agora, então, por que não começar antes esse processo de ajuste da empresa e de toda a equipe?

5. Integração de tecnologias disruptivas

Por meio da hiperautomação é possível conectar diversos recursos tecnológicos, independentemente do seu setor de atuação e das atividades desenvolvidas nele. Ao integrar várias partes da instituição, você consegue centralizar dados, automatizar tarefas e melhorar a produtividade de todo time.

Desse modo, a empresa se torna ainda mais competitiva e também cria as bases necessárias para um modelo de expansão. Isso contribui para a passagem de um formato de negócios pequeno para uma estrutura com ganhos de escala.

6. Foco nas atividades humanas

Com os processos automatizados e funcionando de maneira mais eficiente, você consegue focar na parte estratégica da empresa e na gestão de pessoas. Assim, garante que sua organização crie um mindset colaborativo e com potencial para encontrar boas soluções.

Desse modo, é mais factível conseguir se diferenciar dos concorrentes e manter sua receita lá em cima. Além disso, sua equipe tende a ficar motivada e mais participativa, cooperando com o sucesso de longo prazo de seu negócio.

Como implementar esse conceito, na prática?

Para assegurar a transformação digital na empresa e a aplicação da hiperautomação de modo eficiente é fundamental saber quais são os objetivos que você tem em seu negócio. Com essa informação em mente, fica mais simples procurar soluções adequadas que atendam às necessidades da sua instituição.

Assim, você tem as ferramentas ideais para iniciar o processo de hiperautomação em seu negócio e garante que isso seja feito de forma eficiente. Além disso, contar com dados de qualidade e com a ajuda de empresas especializadas é um ótimo diferencial e pode assegurar que tudo saia conforme planejado.

Viu só como é possível implementar a hiperautomação na sua empresa? Com ela, é plausível maximizar os seus resultados e transformar o seu modelo de negócio para se diferenciar da concorrência e continuar na liderança do seu segmento.

Quer continuar aprendendo sobre soluções tecnológicas? Então, curta nossa página no LinkedIn e fique de olho nas novidades!


5 V's da Big Data: quais são e como colocá-los em prática?

Nos últimos anos, o campo da data science ganhou muita atenção no mercado. Com tantas informações a serem interpretadas, mais do que nunca, as empresas reconhecem a importância das análises estatísticas para alavancagem de seus resultados. Por isso, desenvolvemos este post exclusivo no tema. 

Afinal de contas, você sabe quais são os 5 V’s da Big Data? É justamente isso que você descobrirá nesta leitura. Aqui, você entenderá um pouco mais sobre essa tecnologia e sua importância para as empresas, além de conhecer as principais aplicações desse conceito na prática. Então, não perca tempo e acompanhe!

O que é Big Data e qual sua importância para as empresas?

A Big Data é uma área tecnológica que trabalha com a coleta, manuseio e interpretação de grandes quantidades de dados. Para quem trabalha com tecnologia, é evidente a importância dessa área para o futuro do mercado, pois oferece um diferencial gigantesco para as empresas que apostam nessas ferramentas.

Hoje em dia, já existem aplicações de Big Data para um grande número de atividades no mercado, seja a sua empresa um negócio B2B, B2C, B2E ou afins. Inclusive, é uma tecnologia tão útil e tão vasta que já oferece soluções para empresas de todos os tamanhos, sejam pequenas e médias, até grandes corporações. 

Em nossa visão, a Big Data é importante justamente por vivermos na era dos dados. Hoje, tudo que fazemos no ambiente digital e presencial é convertido em informações digitalizadas, que podem ser coletadas, organizadas e interpretadas de modo a oferecer insights importantes sobre a sua atuação no mercado. 

Hoje, absolutamente tudo pode ser coletado e agregado a um banco de dados — o que você consome nas redes sociais, o que você compra nos e-commerce, o trajeto que você faz no cotidiano, a forma como você interage com anúncios e diferentes mensagens, e até mesmo as suas informações de saúde e biometria. 

É por conta disso, em um mundo cada vez mais data driven, que as empresas reconhecem a importância de investir e colher os benefícios da análise, engenharia e ciência de dados. Seja para aumentar as vendas, garantir a retenção de clientes ou aprimorar a sua abordagem gerencial, a Big Data tem uma solução para isso. 

Quais os 5 V’s da Big Data?

Velocidade, volume, variedade, veracidade e valor. Em nossa visão, esses são os 5 V’s da Big Data, que nada mais são do que pilares fundamentais para a criação de novas tecnologias e soluções nessa área. Abaixo, esclarecemos cada um desses pontos em detalhes. Acompanhe!

1. Velocidade

A primeira característica é a velocidade de coleta, organização e análise dos dados. Aqui, falamos de volumes colossais, como terabytes e petabytes de informação, e essas soluções são capazes de organizar esses grandes reservatórios de dados, eliminar os ruídos e trazer ordem e lógica a esse caos de informação e aleatoriedade.

2. Volume

Em segundo, destacamos o volume informacional. A depender da empresa e da aplicação da tecnologia, o volume de informações coletadas é colossal. Por conta disso, essas soluções se destacam por sua robustez e confiabilidade, justamente por serem capazes de ingerir tamanha quantidade de informação em tempo real.

3. Variedade

As informações podem ser coletadas em dois diferentes tipos: os dados estruturados e os não estruturados. Enquanto o primeiro é uma ingestão organizada, como planilhas e arquivos CSV ou XLSX, o segundo consiste em dados nos mais variados formatos, como conteúdos de mídia como áudios, imagens, vídeos, textos e afins. 

4. Veracidade

O objetivo da Big Data é encontrar ordem e lógica em meio a aleatoriedade de um grande banco de dados. É por isso que boas soluções de analytics se destacam pela capacidade de minimizar esses ruídos, identificando excessos, redundâncias e equívocos, e auxiliando na limpeza e na confiabilidade do dataset final.

5. Valor

Por fim, o valor e o retorno dessas soluções para a sua gestão. A Big Data é uma tecnologia que estimula a descoberta de insights e abordagens para a sua operação. Negligenciar essas informações e ignorar o diferencial oferecido pela tecnologia é o mesmo que negligenciar o investimento realizado nessas ferramentas. 

Quais as principais aplicações de Big Data?

Para encerrar, vale destacar um último "V" da Big Data, o vínculo. Apesar da ingestão de dados admitir muitas informações aleatórias, é função, também, dessas ferramentas e dos analistas encontrar a correlação nos dados, garantindo um data set coeso, limpo e estrategicamente importante para a sua tomada de decisão.

Agora sim, vamos destacar alguns exemplos dessa solução no mercado. Um setor que utiliza muito esse conceito é o campo da securitização. Grandes seguradoras estudam grandes bancos de dados, incluindo incidência de acidentes e mapas criminais, para assim, derivar a melhor relação de risco e retorno para a precificação das apólices.

A mesma abordagem é utilizada no mercado financeiro, onde o cálculo e a gestão de riscos são partes críticas na concessão de créditos. No entanto, vale falar sobre aplicações na ampla economia, sobretudo nas PMEs, as pequenas e médias empresas.

Afinal de contas, muitos gestores mais antenados em tendências e tecnologias já utilizam de soluções de Big Data e Inteligência Artificial para duas necessidades nos supermercados e varejos, que é a precificação dos produtos e o controle de estoque.

Em EPPs de crédito pessoal, a Big Data também é utilizada, juntamente das informações dos bureaus de crédito, para definir a relação de risco na oferta de empréstimos para novos usuários.

No setor da saúde, a ingestão de dados biométricos, como os coletados por smartwatches e outros dispositivos vestíveis, também já é utilizado no trabalho de diagnóstico e acompanhamento de quadros clínicos, sobretudo em países com uma malha tecnológica mais moderna, como os Estados Unidos, o Canadá, e mais recentemente, o Brasil.

Para quem é varejista digital, a Big Data também está à disposição, em ferramentas que qualificam a elaboração de anúncios e publicidades, orientando os melhores períodos, palavras-chaves e estratégias para a veiculação de campanhas nas redes sociais.

Em essência, a aplicação de Big Data no mercado é praticamente infinita e, felizmente, só estamos no começo dessa jornada.

Agora que você conhece os 5 V's da Big Data, aproveite para garantir a sua atualização neste e em outros temas importantes para a sua gestão. Para isso, é simples — basta curtir e seguir a nossa página oficial no LinkedIn!


Soluções de analytics personalizadas: por que investir?

Soluções de analytics são indispensáveis para toda empresa que pretende se inserir no movimento de Transformação Digital (TD). A propósito, segundo o Mapa da Transformação Digital, da Gartner, 53% das empresas não estão devidamente preparadas para transformar-se digitalmente.

Dessa forma, a maior parte dos negócios perde as oportunidades que só quem aderiu à TD pode aproveitar. Porém, sempre é hora de se recuperar, desde que os primeiros passos sejam dados. E um deles é ler este conteúdo, no qual vamos nos aprofundar no universo da análise de dados para entender como ela impacta um negócio. Acompanhe!

O que é uma solução em analytics?

Uma solução em analytics consiste na implementação de rotinas, sistemas e softwares — às vezes hardwares — que permitam coletar e tratar dados.

O objetivo é fazer com que informação em estado bruto, uma vez combinada com outras fontes de dados, gere insights que possam orientar processos decisórios, entre outros usos. Assim, a empresa é capaz de aproveitar as informações conforme o conceito de Big Data, segundo o qual a internet é um imenso repositório de dados a ser explorado.

Vale destacar aqui o estudo Data Never Sleeps, que traz revelações impressionantes sobre a geração de dados na web. Você sabia, por exemplo, que algumas plataformas de delivery recebem, por minuto, mais de 500 pedidos? As soluções em analytics servem justamente para usar dados como esse a favor de sua empresa e gerar informações estratégicas de qualidade.

Que motivos uma empresa tem para investir em soluções personalizadas de analytics?

Evidentemente, não há como avançar na Transformação Digital quando não se considera seriamente a tecnologia. Além disso, tudo indica que as empresas que investem em dados têm melhores resultados.

De acordo com algumas pesquisas, 70% das empresas que investem em dados apresentam posterior redução de custos. O levantamento aponta, ainda, que para cada Dólar investido nesse quesito o retorno esperado é de US$ 2,18.

Contudo, o desenvolvimento de uma política de dados traz resultados que vão além da questão financeira. Veja a seguir quatro deles.

Maior margem de acerto nas decisões

Nada pior para uma empresa do que não conhecer o terreno em que está pisando antes de decidir se avança por ele ou não. As soluções de analytics servem, nesse caso, para orientar gestores quanto ao que fazer, mesmo nos cenários de risco mais elevado.

Portanto, ao decidir com base em dados, as incertezas típicas que surgem quando uma empresa precisa assumir certos riscos podem ser eliminadas ou reduzidas.

Desenvolvimento da inteligência de negócios

Junto à Transformação Digital, cresce em relevância a chamada Business Intelligence. Trata-se de um valioso ativo que, como tal, precisa ser conquistado à base de muito trabalho, estratégia e, claro, por meio das ferramentas e recursos adequados.

Processos de negócios mais definidos

A sigla BPO soa familiar para você? Ela define o chamado Business Process Outsourcing, ou terceirização de processos de negócio.

Essa é mais uma área no escopo das atividades de uma empresa em que uma solução de análise de dados se mostra uma escolha inteligente. Afinal, com ela, a empresa ganha uma visão muito mais ampla de suas próprias rotinas, uma vez que terá informação estruturada para saber onde está errando ou acertando.

Retorno consistente e durável

Outra vantagem a ser destacada é que esse tipo de solução é sustentável, ou seja, gera resultados consistentes no médio e longo prazo. A longo prazo, uma solução de analytics retorna os investimentos devido aos benefícios que proporciona.

Então, se está nos seus planos obter resultados sólidos, a coleta somada à análise de dados é certamente a melhor alternativa.

Quais são as vantagens das soluções de analytics personalizadas?

Como vimos, motivos não faltam para justificar a escolha por uma solução de analytics. Além disso, optar por uma solução personalizada, em vez de pacotes de software prontos, permite maior assertividade na implementação da política de dados. Isso porque as soluções de analytics personalizadas têm diferenciais como:

  • pagar somente pelos serviços utilizados;
  • ferramentas e ativos de acordo com as necessidades da empresa;
  • soluções mais completas e centralizadas;
  • equipe técnica para implementação e desenvolvimento do projeto.

A partir desses benefícios, sua empresa passa a ter diferenciais como:

  • vantagem competitiva sobre os concorrentes;
  • mais agilidade no processo decisório;
  • capacidade de se antecipar em momentos de crise;
  • menos incerteza quanto aos fatores externos e seus impactos no negócio;
  • assertividade estratégica;
  • maior margem de manobra em contextos que exijam medidas contingenciais.

O que é a Scala Analytics Platform?

A Scala Analytics Platform é a solução de analytics personalizada desenvolvida pela Scala IT para empresas de diversos segmentos. Com ela, é possível usar ferramentas, ativos e aceleradores de dados para alcançar objetivos estratégicos de negócio, resolver problemas e gerar insights com agilidade.

Além disso, a Scala Analytics Plarform comporta todas es etapas da jornada analítica de dados, incluindo a captação, integração, qualidade, armazenamento, relatórios, algoritmos e machine learning, para assim chegar aos insights de negócios.

Como a Scala Analytics Platform pode impactar a minha empresa?

Know-how especializado

Além de todas as ferramentas que a Scala Analytics Platform comporta para dar suporte à jornada de dados, é possível contar com o suporte e know-how de toda a equipe de engenheiros e cientistas de dados para ajudar a empresa a cumprir os objetivos.

Queremos dizer com isso que, ao preferir nossas soluções, você pode ter a certeza de que estará contando com uma parceira capaz de dar respostas efetivas aos seus desafios.

O “novo petróleo” à sua disposição

Uma dificuldade que as empresas têm é coletar dados em volume suficiente para gerar insights. Com a nossa solução, você garante a coleta de dados de maneira automatizada, em grandes quantidades e conforme as necessidades de negócio.

Monitoramento de concorrentes e preços

A partir da coleta de dados públicos com a nossa plataforma, é possível obter informações valiosas de concorrentes. Assim, sua empresa consegue monitorar e comparar preços de mercado, meios de pagamento e taxas de entrega, entre outros.

Plataforma personalizável

Em meio a tantos dados, é natural que nem todos eles sirvam para atingir certos tipos de objetivo. Nossa plataforma permite que você selecione o tipo de dado que pretende coletar, agilizando assim o processo de tratamento e de geração de insights.

Além disso, uma mostra da eficácia de nossas soluções é o recente prêmio de melhor parceiro IBM em Analytics, uma honraria concedida pela IBM apenas às empresas que se destacam no competitivo setor de Platform as a Service (PaaS).

Então, agora que você sabe o que é uma solução de analytics personalizada e conheceu os principais benefícios da Scala Analytics Platform, entre em contato com a gente e saiba mais sobre como a nossa solução pode ajudar a sua empresa na jornada de dados.


Cloud Computing e Inteligência Artificial: como contribuem para as empresas?

A evolução tecnológica aplicada aos negócios têm exigido cada vez mais atenção das empresas que hoje passam pela transformação digital. Entre as novidades nas mais diversas áreas, a Cloud Computing e Inteligência Artificial têm sido, talvez, as principais delas.

O universo corporativo vem utilizando essas evoluções de maneira integrada, visando otimizar os processos internos, reduzindo custos e, ao mesmo tempo, aumentando a produtividade.

Neste artigo, abordaremos os aspectos mais importantes que unem essas duas áreas, ajudando você a entender quais são as contribuições nos ambientes empresariais, seus benefícios e alguns detalhes sobre as soluções em que são aplicadas. Boa leitura!

Qual o papel da Cloud Computing nas empresas?

Cloud Computing ou computação em nuvem, é um termo utilizado pela área de Tecnologia da Informação (TI) e designa qualquer forma de processamento de dados sendo realizada de maneira remota em relação ao local em que é utilizado. Estão em grandes infraestruturas mantidas por empresas especializadas no oferecimento desses serviços.

São muitas as vantagens que o Cloud Computing pode trazer para uma empresa. Talvez a principal delas é a redução de custo ao deixar o setor de TI mais enxuto. Isso porque não teremos mais que nos preocupar com nosso servidor, por exemplo, realizando a manutenção ou atualização dele.

Os serviços oferecidos por meio da tecnologia de Cloud Computing são também muito variados. A empresa pode contratar tanto serviços de armazenamentos de dados quanto serviços de processamento — é possível encontrar no mercado diversos softwares, como CRMs, ERPs ou plataformas de monitoramento que funcionam exclusivamente em nuvem.

No caso desses serviços, os benefícios que a tecnologia traz para as corporações ainda vão além da economia. Ela dá uma maior mobilidade e autonomia aos colaboradores, o que facilita, também, a execução de modelos de trabalho mais flexíveis, como o home office.

A estrutura necessária para que sua empresa possa processar e armazenar as informações internas de maneira segura será reduzida a apenas dispositivos com acesso à internet.

Qual o papel da Inteligência Artificial nas empresas?

A Inteligência Artificial (IA) está bastante próxima da Cloud Computing. Isso porque para o funcionamento adequado de um sistema artificialmente inteligente, é necessário o armazenamento e processamento de uma quantidade bastante significativa de dados — conhecida por Big Data.

Os sistemas cloud são capazes de trabalhar com conjuntos de dados dessa magnitude. Para isso, são elaborados complexos algoritmos que permitem processá-los de forma que se tornem legíveis e úteis do ponto de vista estratégico. Os algoritmos, por sua vez, são códigos de computação que descrevem um determinado raciocínio a ser executado por uma máquina e aplicados sobre os dados organizados.

Essa organização feita por uma inteligência artificial é capaz de ajudar aos gestores a encontrarem problemas internos, como falhas no sistema de produção ou possíveis pontos de otimização de processos.

As soluções que a Inteligência Artificial traz para nossas empresas podem ser, muitas vezes, não tão complexas. Com as vastas possibilidades de conexão entre os variados dispositivos no dia a dia, muitas empresas têm adotado sistemas de IA para realizar o atendimento ao consumidor de maneira autônoma, por exemplo — daremos mais detalhes adiante.

Muitas outras soluções são possíveis e diariamente o mercado testemunha a chegada de novas tecnologias que utilizam a IA para funcionarem.

Quais as principais soluções dessas tecnologias que podem ser adotadas nas empresas atualmente?

Agora que sabemos alguns detalhes sobre essas duas áreas é mais fácil entendermos sobre o funcionamento das soluções que adotam ambas as tecnologias. Essa união pode garantir às empresas uma abordagem mais dinâmica dos problemas, assim como um monitoramento mais efetivo — favorecendo otimizações necessárias para uma evolução contínua, em um mercado extremamente competitivo.

Acompanhe, a seguir, as principais novidades que a Inteligência Artificial e a Cloud Computing estão oferecendo e em que elas podem ajudar em sua empresa.

Sobre o atendimento automatizado dos clientes

Saiba que atualmente podemos oferecer um atendimento 100% automatizado para nossos clientes. Os sistemas de inteligência artificial têm um enorme potencial nesse setor. Isso porque eles são capazes, cada vez mais, de projetar análises e realizar previsões precisas, como satisfação com o atendimento ou problemas recorrentes em determinado setor, sem contar com as possibilidades de simular um atendimento humano.

Usando da alta capacidade de processamento de dados da Cloud Computing, o uso de IA consegue proporcionar soluções mais satisfatórias no atendimento dos clientes e na otimização dos processos internos para as empresas, prevenindo prejuízos.

Sobre a otimização dos processos internos

A área de logística é um exemplo daquelas áreas que mais se modificaram nos últimos tempos. Sem dúvida que a inteligência artificial e a Cloud Computing contribuíram para a aplicação de novos processos, de modo a otimizar a cadeia produtiva e o cotidiano da maioria dos setores empresariais.

As aplicações variam, como a automatização dos mais diversos tipos de tarefas, no armazenamento seguro de arquivos, monitoramento de entrada e saída de produtos ou necessidade de comunicação instantânea entre os colaboradores.

Adequar-se às necessidades do mercado é muito importante

A adoção, pelo mundo corporativo, de sistemas em nuvem e de soluções de inteligência artificial, é quase mandatória. Com o mundo dos consumidores já bastante conectado, ficar à parte dessas novas tendências pode ser prejudicial para a saúde dos negócios.

O compartilhamento avançado de informações é um dos principais motivos para essa necessidade. A utilização de recursos (como IA e Cloud Computing) de maneira integrada possibilita às empresas uma leitura mais aprofundada e precisa do funcionamento de seus negócios.

Por meio de análises de dados, os gestores terão maior segurança para tomadas de decisões mais vantajosas para os empreendimentos.

Saiba que, muitas vezes, a implementação de alguns desses sistemas e soluções que apontamos pode ser facilmente aplicado em seus negócios. Em alguns deles, é necessário apenas a disponibilização de um login e senha para serem utilizados por seus colaboradores — essa é uma vantagem que fez com que os sistemas em nuvem viessem para ficar.

Se você quer mais informações sobre Cloud Computing, inteligência artificial e ficar por dentro das últimas inovações que o mercado tecnológico traz para as empresas, acompanhe-nos em nossas redes sociais! Curta agora mesmo nossa página no Facebook, sempre trazemos informações novas, repletas de oportunidades de inovação para você e sua empresa!