Como ter (e manter) um banco de dados saudável?

Durante um workshop, o executivo Rajeev Priyardashi, da IBM, disparou a pergunta: por que devo cuidar da minha saúde? E ele mesmo respondeu: porque pretendo correr e brincar com meus netos quando chegar aos 70.

Read more


Governança de dados para quê? Devemos investir nisso?

Como fazer o cross sell e vender mais para quem já é cliente? Quem, no nosso imenso banco de dados, está propenso a comprar um novo produtoQue decisão tomar e qual estratégia adotar em relação ao futuro? 

Read more


Saque Pague implementa solução para auditar itens de segurança com mais agilidade e eficiência

Projeto utiliza a distribuição de patches para corrigir os servidores em minutos, alcançando até 98% de sucesso

A Scala realizou um grande projeto na Saque Pague, plataforma de tecnologia detentora de uma rede de autoatendimento, com o objetivo de  gerenciar e auditar itens de segurança nos servidores, espalhados nos dois datacenters próprios, um no Brasil e outro no México, de forma ágil e centralizada.  Denominada BigFix, a plataforma realiza a distribuição de patches, programas para corrigir vulnerabilidades de segurança, além de gerar relatórios em conformidade com várias auditorias.

Em 2017, a Saque e Pague começou a sua internacionalização com uma operação no México. Com a estabilização do ambiente no México, a companhia necessitava de agilidade para atender todas as normativas financeiras no Brasil, no México e nos novos países foco do seu processo de internacionalização. Já no ano seguinte, começou a busca por uma solução que, de forma centralizada, possibilitasse a distribuição das atualizações, principalmente dos sistemas operacionais, e a geração dos relatórios de auditoria, tais como PCI (Payment Card Industry). Hoje a empresa controla a distribuição dos patches em mais de 200 servidores no Brasil, 50 no México e 250 desktops.

A Saque Pague passou a corrigir todos os servidores em minutos – antes o processo ocorria em algumas horas, com 98% de sucesso na primeira tentativa. Além disso, aumentou a eficiência e reduziu os custos, impulsionando o ROI em toda a empresa; com simplificação do gerenciamento de configuração e distribuição de software nos servidores e automação das correções para sistemas operacionais e aplicativos de terceiros, fornecendo recursos de correção offline, com altos índices de sucesso na primeira tentativa.

Muitos benefícios

“Após a realização da negociação e de uma prova de conceito (POC), fechamos o projeto para a implantação do ambiente de servidores do Brasil e do México, com um console de gerenciamento centralizada pela equipe de segurança do Brasil. Em maio de 2019, já com o ambiente de servidores totalmente em produção, ampliamos o escopo para mais 250 desktops”, explica Filipe Cotait, diretor de tecnologia da Scala.

“Hoje, o ambiente está 100% ativado e é fundamental para automatizar as atividades com segurança e gerar, de forma rápida, uma visão consolidada e detalhada, dependendo das necessidades de cada auditoria”, destaca Antônio Elcir Fonini, responsável pela área de Segurança da Informação da Saque e Pague.

O projeto apresentou muitos benefícios, como o gerenciamento unificado da aplicação de patches em desktops Microsoft Windows e Red Hat Linux; visibilidade de como precisam ser aplicados em determinados dispositivos; redução dos ciclos de gerenciamento de patches, permitindo que a equipe de TI agende as correções conforme sua conveniência, enquanto monitora os resultados da implantação; indicação precisa e atualizada da aplicação contínua da solução nos servidores, bem como a redução do esforço administrativo por meio das ações de automação.

“O ponto crucial da implementação foi a integração entre o Bigfix e as bases de patches Red Hat na nuvem e os servidores Red Hat Satellites. Com a plataforma, foi possível contar com recursos nativos de integração que acelerassem a implementação”, finaliza o diretor de tecnologia da Scala.

 


Caso de sucesso Pré-sal Petróleo: solução agiliza a gestão e a venda do produto

A Pré-sal Petróleo (PPSA) representa os interesses da União nos contratos de partilha de produção de pré-sal. Buscando agilidade e transparência, a estatal lançou, ainda em 2018, uma licitação para automatizar seu Sistema de Gestão de Gastos de Partilha de Produção (SGPP), que permitiu implantar uma gestão digital mais abrangente, com validação de dados, controle de custos, produção e estoques.

A Stefanini Scala venceu essa licitação e implantou soluções baseadas em tecnologia IBM, gerando grandes ganhos para a PPSA. Pela plataforma, a PPSA poderá acompanhar simultaneamente o desempenho de cada consórcio e calcular os volumes de produção de petróleo e gás, além de fazer comparações de custos praticados por cada fase de projeto.

Confira o caso de sucesso em vídeo e alguns benefícios alcançados com a implantação do sistema.

SOLUÇÕES UTILIZADAS

  • IBM BPM – Business Process Manager
  • IBM ODM – Operational Decision Manager

Saiba mais sobre estas soluções, clicando aqui


VR Benefícios investe em novas tecnologias com solução Dynatrace

O processo de crescimento das empresas exige investimentos em novas tecnologias para garantir a transformação digital dos atuais ambientes de TI. Além de garantir melhoria de performance, as soluções de monitoramento podem prever possíveis incidentes, atuar de maneira assertiva e responder ao mercado com a velocidade necessária para acompanhar o cenário de mudanças exponenciais.

Ciente de que era fundamental integrar ainda mais suas soluções, a VR Benefícios se aliou à Stefanini Scala para implementar soluções de analytics que pudessem otimizar o acesso às informações de maneira mais rápida, parametrizável e segura. Após uma análise detalhada do ambiente de TI e a aplicação de uma prova de conceito (POC) bem-sucedida, ficou decidido que a melhor solução seria a de monitoramento de aplicações e de experiência do usuário Dynatrace.

Cloud Monitoring

A ferramenta Dynatrace faz uma análise completa de cada etapa que está em funcionamento no sistema monitorado. A partir do desenho da arquitetura do trabalho, consegue identificar as melhorias e indicar rotas de fugas para o sistema. Isso resulta em uma maior satisfação do cliente, com retorno rápido, e tempo de resposta menor. Também proporciona mais inteligência à medida que vai se ajustando, podendo prever falhas e atuar de maneira preventiva e proativa, evitando a evolução de alguma ocorrência atípica.

“Ao invés de apenas alertar, a tecnologia Dynatrace reinicia o sistema e envia a trilha completa com orientações sobre qual deve ser a primeira iniciativa. A ação e a reação são praticamente imperceptíveis. ”, afirma Renato Teixeira, diretor de TI & Digital da VR Benefícios.

Segundo o executivo, a implementação pela Stefanini foi rápida – em poucas horas, a ferramenta já estava disponibilizando as informações necessárias para muitas máquinas. Quando surgem, os alertas já apontam onde está o problema e como mitigá-lo. “É tempo suficiente para acionar as pessoas e solucionar a questão, sendo que o nível de assertividade é de 100%”, reforça o diretor de Tecnologia da VR Benefícios.

Quadrante Mágico do Gartner

As plataformas da Dynatrace, líder mundial em inteligência de software, são reconhecidas pelo Quadrante Mágico do Gartner como líderes em Application Performance Monitoring (APM) e tornam visíveis informações em tempo real. O principal benefício é auxiliar as companhias a enxergarem suas aplicações e canais digitais pela perspectiva dos usuários finais.

A tecnologia possui dashboards intuitivos, que possibilitam acompanhar o que ocorre em cada camada das transações, localizar exceções que possam atrapalhar o funcionamento das aplicações, identificar as causas que geram demora nas respostas e monitorar – de ponta a ponta – a performance de todo o sistema.

“O monitoramento é baseado na experiência dos clientes e impulsionado por Inteligência Artificial, o que garante que as performances digitais, tanto nas navegações feitas pela web quanto nos dispositivos móveis, sejam de alto nível e com resultados significativos”, diz José Carlos Pires, CEO da Stefanini Scala.

¨A VR Benefícios tem buscado o que há de mais moderno em tecnologia no Brasil e no mundo. E isso vem se refletindo em melhores serviços aos nossos clientes e no reconhecimento do mercado. Fomos premiados pela Mckinsey como uma das empresas mais digitais de meios de pagamento. Além disso, fomos apontados como uma das 100 empresas mais inovadoras do Brasil, segundo o Prêmio Whow 2019 da Revista Consumidor Moderno. Isso só nos motiva a continuar a acelerar o passo para estar sempre à frente quando o assunto é tecnologia e inovação¨, afirma Renato Teixeira, diretor de TI & Digital da VR Benefícios.

Sobre a VR Benefícios

Há mais de 40 anos no mercado, a VR Benefícios possui sólida experiência e pioneirismo no segmento de benefícios. Lembrada pelos consumidores como sinônimo de categoria, a marca vem se renovando ao longo de sua história com objetivo de oferecer serviço de qualidade, atendimento diferenciado e uma oferta atraente de produtos aos seus clientes. Com mais de 400 mil estabelecimentos credenciados em 5 mil municípios atendidos, a VR Benefícios é inovação e praticidade, sendo reconhecida 8 vezes como a empresa que mais respeita o consumidor, além de possuir a melhor nota do setor no Reclame Aqui, com o menor tempo de resposta e o maior índice de solução da categoria de benefícios. Foi apontada como uma das 100 empresas mais inovadoras do Brasil, segundo o Prêmio Whow 2019 da Revista Consumidor Moderno. É considerada também umas das empresas mais digitais em meios de pagamentos, segundo a McKinsey.

Com foco na satisfação de seus clientes e na busca de soluções que simplifiquem e facilitem a gestão de benefícios das empresas, a VR Benefícios é uma provedora de soluções inovadoras. A empresa tem como missão atender, de forma personalizada e com tecnologia de ponta disponível, às mais diferentes necessidades e desejos de seus clientes, sejam eles empresas de pequeno, médio ou grande porte, empreendedores, estabelecimentos comerciais e beneficiários dos cartões Alimentação, Refeição, Auto, Saúde e Cultura. Para mais informações: http://www.vr.com.br.


Orbitall: monitoramento de performance leva a ganhos de eficiência operacional de 95%

A revista Case Studies, ligada à FGV Management, trouxe um caso de sucesso inspirador: a Orbitall, em parceria com a Stefanini Scala, adotou uma plataforma de monitoramento de performance que a levou a registrar uma eficiência operacional de 95%.

A Orbitall, empresa de meios de pagamentos homologada pelas principais bandeiras do mercado (Mastercard, Visa e Diners), decidiu implementar uma ferramenta que pudesse rastrear seus sistemas e indicar, em tempo real, quando e onde há um problema, de forma que possa ser imediatamente corrigido.

DESAFIOS

A empresa processa diferentes tipos de cartão, de crédito, pré-pago, vale-refeição e vale-presente. Em suas operações, uma falha precisa ser resolvida com rapidez para evitar prejuízos aos parceiros. O desafio, segundo o CEO Braulio Lalau de Carvalho, era descobrir onde está um eventual problema, considerando os vários sistemas que compõem a infraestrutura de seus serviços, para resolvê-lo.

Ao adotar a solução APM (Application Performance Management) de monitoramento inteligente Dynatrace, a empresa ganhou visibilidade em tempo real de todo o sistema.

Sete meses depois do início do projeto, a companhia registrou um ganho em eficiência operacional de 95% e uma economia de 40% na gestão de pessoal.

Confira o caso de sucesso completo e suas etapas de implementação clicando aqui.

---

Solução utilizada:

APM (Application Performance Management) Dynatrace

 


Na Pré-sal Petróleo, sistema agiliza a validação de dados e controle de custos

A Pré-sal Petróleo (PPSA), estatal que representa os interesses da União nos contratos de partilha de produção de pré-sal, passou a realizar a gestão de forma digital, com validação de dados de controle de custos, produção e estoques.

O Sistema de Gestão de Gastos de Partilha de Produção (SGPP), como é chamado, teve sua licitação ganha pela Stefanini Scala ainda em 2018 e estará totalmente implantado em setembro de 2019.

CONTROLE DE CUSTOS E PRODUÇÃO

O programa reduz o tempo gasto em atividades de validação de dados e informações prestadas pelos operadores, como os custos com a compra de equipamentos, prestação de serviços, mão de obra, custos de perfuração. Além disso, permite o acompanhamento das operações e da produção de cada consórcio e a verificação de estoque de petróleo e volume de gás natural de cada campo operado em regime de partilha.

As empresas operadoras dos consórcios alimentam diretamente os dados no sistema, resguardando a segurança e a integridade da informação de cada projeto. Pela plataforma, a PPSA poderá acompanhar simultaneamente o desempenho de cada consórcio e calcular os volumes de produção de petróleo e gás, além de fazer comparações de custos praticados por cada fase de projeto.

AGILIDADE

Segundo André Onofre, gerente de TI da PPSA, em declaração prestada ao jornal Valor Econômico (foto), a rotina de validação de dados de uma planilha fornecida por um operador levava cerca de dois dias para ser validada. Agora, com o novo sistema, isso ocorre em 40 segundos.

O sistema já vem sendo usado pela Petrobrás e Shell. Agora, a PPSA está preparada para novas demandas e maiores volumes de dados, o que deve ocorrer em novembro, quando estão marcados leilões de excedentes.

SOLUÇÕES UTILIZADAS

IBM BPM - Business Process Manager
IBM ODM - Operational Decision Manager

Saiba mais sobre estas soluções, clicando aqui

 


Unimed Fortaleza ganha mais agilidade com a automação de tarefas por RPA

A Unimed Fortaleza ganhou 36 horas semanais e 146 horas mensais para que seus colaboradores se dediquem a tarefas mais estratégicas. A operadora de planos de saúde automatizou processos com Robotic Process Automation (RPA) de forma a acelerar suas atividades rotineiras.

Com o uso do RPA, a Stefanini Scala criou para a Unimed Fortaleza processos de automação por meio de interações automatizadas em vários sistemas, funcionando com a infraestrutura de TI já existente no local. A solução foi implementada rapidamente, eliminando falhas e direcionando os funcionários para tarefas mais nobres, que agregam maior valor à unidade da Unimed Fortaleza.

“Obtivemos resultados expressivos dentro da organização, conseguimos ganhar 36 horas semanais e 146 horas mensais para os colaboradores se dedicarem a tarefas mais estratégicas dentro da Unimed. Reduzimos o tempo em atividades no departamento de Recursos Humanos, áreas de Vendas e Tributária. Um dos principais exemplos é o ganho de 24h no processo de acesso ao site da prefeitura para realizar o aceite das notas das empresas que prestaram serviços para a Unimed, sendo que esse tempo passou a ser utilizado para executar outras demandas”, afirma Fabrício Diógenes, superintendente de TI da Unimed Fortaleza.

 

ÓTIMOS RESULTADOS

Outros exemplos são as áreas de Vendas e RH, que ganharam mais de duas horas em cada departamento, ao automatizar o processo para aquisição de uniformes dos colaboradores, coletar e unificar arquivos disponibilizados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e exportar resultados de forma muito mais simples.

Mirna Machado, diretora de Produtos da Stefanini Scala, ressalta que a Unimed Fortaleza investiu inicialmente em processos internos para mensurar resultados. “O projeto tomou projeção e abriu espaço para discussão em outras atividades, aumentando a produtividade de diversas áreas dentro da operadora de saúde, gerando mais resultados significativos para a unidade. O próximo passo é ampliar essa automatização integrado com Inteligência Artificial e assim abranger as regras de negócios do setor de saúde”, explica.

O RPA faz parte de uma automatização de processos, aliada a uma máquina que é capaz de realizar tarefas de maneira automática. No caso de automação, os robôs são as máquinas controladas por essa tecnologia, que envia e executa as tarefas a serem realizadas. O uso de RPA permite que o próprio robô – nesse caso, o software – se adapte a novas necessidades, situações e demandas. As empresas trabalham juntas há quatro anos nas operações de Backup, Licenças e Sustentação.

 


Saint Paul inova com primeiro tutor do mundo com o uso de inteligência artificial

Em tempos de fake news, está cada vez mais difícil diferenciar informações verdadeiras de notícias falsas na internet. Não é raro digitar uma pergunta em um site de buscas e aparecerem respostas com dados distorcidos ou até mesmo errados. Mas há quem esteja usando a tecnologia em prol da educação de qualidade.

É o caso da Saint Paul Escola de Negócios que, em parceria com a Stefanini Scala, coligada da Stefanini, oferece uma plataforma disruptiva que permite que o estudante esclareça dúvidas, a qualquer hora do dia, e em qualquer lugar com ajuda da inteligência artificial (IA).

“Os nossos professores ‘treinam’ a ferramenta de IA para responder dúvidas dos conteúdos ensinados”, explica Marcos Paulo Sanchez, diretor da área Digital e de TI da Saint Paul, instituição cinco vezes listada entre as melhores do mundo, segundo o Financial Times. O projeto teve início há pouco mais de um ano, e o primeiro curso a contar com o Paul, o tutor virtual, foi Contabilidade, seguido por Inovação e Criatividade.

Agora, será a vez dos estudantes de Administração e Demonstrativos Financeiros terem acesso à ferramenta capaz de tirar dúvidas e ensinar diversos conceitos, técnicas e relações com a matéria. Concluída essa etapa, a meta é que mais 20 mil alunos possam recorrer a essa plataforma de aprendizado.

“A nossa expectativa é estender o acesso a mais de 100 cursos em até três anos, beneficiando milhares de alunos”, afirma Sanchez. “A transformação digital é o que nos move. De maneira alguma descartamos a figura do professor”, acrescenta. “Temos dois protagonistas: o aluno e o professor. A tecnologia é só o meio”, resume Adriano Mussa, diretor acadêmico da Saint Paul.

Além de oferecer um conteúdo extenso e respostas precisas, a plataforma permite que o aluno acompanhe a sua evolução no curso e compartilhe suas experiências em uma rede social criada exclusivamente para os estudantes. “A ideia é que o aluno tome as rédeas da própria aprendizagem”, garante Sanchez.

IBM Watson

Para Filipe Cotait, diretor de tecnologia da Stefanini Scala, a plataforma mostra que a Saint Paul é uma instituição inovadora e disruptiva. O elogio não é à toa, afinal ela é a única no mundo a utilizar a IA dessa forma. A Stefanini Scala é responsável pela implementação da tecnologia IBM Watson e pela criação do chat por meio do qual o aluno pode tirar dúvidas com o Paul. “No início, confesso que eu era cético com a possibilidade de a IA aprender os conteúdos, mas o resultado me surpreendeu positivamente”, destaca Sanchez.

Esse projeto faz parte de uma plataforma de onlearning chamada LIT, que funciona como uma assinatura do Netflix ao oferecer acesso a um vasto conteúdo e permitir que o aluno direcione seus estudos para as áreas de maior interesse. Ao todo, a plataforma conta com mais de 1.500 exercícios solucionados, 8.000 livros e 10 programas de MBA com temas relacionados a negócios, como liderança, marketing, contabilidade, inovação, finanças, entre outros. A ideia é que o aluno receba certificações de acordo com os cursos realizados, de modo que, ao serem conectadas como um Lego, ele consiga obter um diploma de MBA.

Caminho educacional personalizado

Além disso, a plataforma consegue identificar pontos fortes e pontos fracos de cada estudante e oferecer um caminho educacional personalizado. Também é capaz de traçar a personalidade do aluno, por meio da sua forma de escrever e de suas interações sociais. Sobretudo, é democrática. A assinatura custa R$ 99 mensais, o que possibilita que milhões de brasileiros tenham acesso à educação executiva de qualidade.

“Você pode aprender lendo livros, assistindo a uma aula ou participando de um estudo de caso. Agora, você pode aprender conversando com o Paul. Sem dúvida, a inteligência artificial baseada em computação cognitiva apresenta elementos fundamentais para a evolução da forma de se aprender”, afirma José Securato, diretor-presidente da Saint Paul Escola de Negócios.


No Banco Votorantim, a performance digital está garantida

 

A parceria entre Stefanini Scala e o Banco Votorantim, que já vem de longa data, inclui a implantação de uma solução capaz de identificar rapidamente a origem de problemas operacionais, a plataforma Dynatrace.

Voltada para o gerenciamento de performance digital, a Dynatrace permite oferecer uma boa experiência virtual, de maneira a atrair usuários, ampliar receitas e gerar maior fidelidade. Plataforma inovadora, ela torna as informações visíveis em tempo real, ajudando empresas a enxergar suas aplicações e canais digitais pela perspectiva dos usuários finais.

“À medida que fomos expandindo o uso da ferramenta Dynatrace, ganhamos sinergia com as áreas de desenvolvimento, que passaram a utilizá-la na hora de definir a estratégia de lançamento de produtos”, afirma Marcelo Toledo, gerente de infraestrutura do Banco Votorantim.

Como é sabido, falhas nos sistemas ou até mesmo o atraso em alguns segundos na aplicação on-line são suficientes para fazer com que o consumidor migre para o concorrente. “Um de nossos principais produtos é o financiamento de veículos. Se o cliente não consegue fazer a simulação rapidamente, acaba dando preferência a outro banco, o que representa uma perda de receita potencial”, acrescenta Toledo.

SOLUÇÃO LÍDER NO GARTNER

A plataforma Dynatrace, reconhecida pelo Quadrante Mágico do Gartner como líder em Application Performance Monitoring (APM) pelo 8º ano consecutivo, torna as informações visíveis em tempo real. O monitoramento é baseado na experiência dos clientes e impulsionado por Inteligência Artificial, o que garante que as performances digitais, tanto nas navegações feitas pela web quanto nos dispositivos móveis, sejam de alto nível.

A tecnologia possui dashboards intuitivos, que possibilitam acompanhar o que ocorre em cada camada das transações, localizar exceções que possam atrapalhar o funcionamento das aplicações, identificar as causas que geram demora nas respostas e monitorar – de ponta a ponta – a performance de todo o sistema.

O escopo do projeto previa o monitoramento tanto no teste de novos produtos quanto na análise de resultados diários. A tecnologia também auxiliou no processo de reformulação do site, uma vez que o banco passou a detectar o total de acessos por celular e o navegador mais utilizado.

FERRAMENTAS INOVADORAS

A experiência do Banco Votorantim reforçou a parceria com a Stefanini Scala. “Investimos cada vez mais em transformação digital para conectar toda a experiência do usuário”, diz Filipe Cotait, diretor de tecnologia da Stefanini Scala. “Isso é possível ao disponibilizar ferramentas inovadoras que ampliem a geração de resultados e a melhoria da experiência com produtos e processos, garantindo um monitoramento em tempo real do comportamento de cada cliente em múltiplos canais de atendimento”, diz.

Agora, no Banco Votorantim, mais uma fase de expansão está em curso, com a meta de apoiar todas as áreas, estendendo o uso da plataforma para todos os setores do banco. Segundo Jean Calixto da Silva, gerente de negócios da Stefanini, a estratégia dará conta das transformações rápidas que acontecem no mundo. Com soluções inovadoras e parceiros especializados Stefanini Scala, isso é possível.